Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Morre Dom Clóvis Frainer, ex-arcebispo de Juiz de Fora


Por Tribuna

04/04/2017 às 20h53- Atualizada 05/04/2017 às 09h02

Dom_Clóvis-2O arcebispo emérito, dom Clóvis Frainer, morreu na tarde desta terça-feira (4), em Caxias do Sul (RS). Dom Clóvis, que foi arcebispo de Juiz de Fora, morreu aos 86 anos de complicações pulmonares e falência de outros órgãos. O religioso pertencia à ordem dos franciscanos capuchinhos e foi o terceiro arcebispo de Juiz de Fora, assumindo o governo da Arquidiocese em 15 de agosto de 1991 e tendo se tornado emérito em 28 de novembro de 2001.

O conteúdo continua após o anúncio

A morte do de dom Clóvis foi comunicada com pesar pela Arquidiocese de Juiz de Fora. O corpo está sendo velado na Capela da Casa São Frei Pio, junto ao Convento dos Capuchinhos, em Caxias do Sul. A missa e orações de despedida terão lugar na Matriz Imaculada Conceição (Capuchinhos de Caxias do Sul). Em seguida, o corpo será sepultado no Memorial dos Capuchinhos de Caxias do Sul, às 16h desta quarta.
Em nota, o arcebispo de Juiz de Fora, dom Gil Antônio Moreira, afirmou: “A Arquidiocese de Juiz de Fora deve muitos obséquios a este extraordinário pastor, que deu a sua vida pela Igreja e pela evangelização de nossa gente. Como bom franciscano, deu testemunho de desapego das coisas materiais e de qualquer honraria humana. A Província Eclesiástica de Juiz de Fora se solidariza com a família franciscana capuchinha na dor desta ausência e na fé firme na ressurreição dos mortos. A páscoa definitiva de Dom Clovis seja luz para a Páscoa que estamos para celebrar em toda a Igreja.”

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia