Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Tem livro, tem planta e, em tudo, tem comida

Mariana Bedendo ensina receita de quiche de queijo minas curado com alho poró


Por Cecília Itaborahy, estagiária sob supervisão de Wendell Guiducci

12/11/2021 às 07h00

Quiche
(Foto: Fernando Priamo)
Quiche
(Foto: Fernando Priamo)

Mariana Bedendo era quem cozinhava em casa. “A gente lá brinca que, quando eu saí de casa, foi minha mãe que ficou sem comida boa, não eu”, conta. E esse interesse nas coisas que podem sair da cozinha começou com o pai que, de acordo com ela, “fazia comida boa, boa mesmo e caseira”. O exemplo dado para essa frase foi arroz e feijão. Vendo e experimentando as comidas do pai, Mariana foi pegando aos poucos o que, até hoje, ela insere na comida: simplicidade, onde ela encontra o sentido de criar.

O simples pode estar até nas coisas mais elaboradas. Vegetariana desde os 9 anos de idade, a cozinha foi também onde ela encontrou a possibilidade de não comer carne, e, ainda assim, comer coisas diferentes – que muitas vezes não tinha nos restaurantes. Quando chegou a hora de escolher a faculdade que queria cursar, ela disse que queria gastronomia. Mesmo assim, acabou fazendo arquitetura, chegando até ao mestrado na área. Tempos depois, em 2015, a cozinha a chamou de volta.

Durante a pandemia, ela criou a Cozinha Cobogó (@cozinhacobogo). Decidida a ter um negócio só seu e, ao mesmo tempo, estar imersa na cozinha, ela trabalha em casa mesmo, rodeada das plantas e, como ela disse, dos “milhões de livros” de culinária que ocupam as prateleiras. “Casa de cozinheira tem cozinha pela casa toda”, ela diz, se desculpando. Antes de qualquer coisa, cozinheiro é quem bota a mão na massa, se suja, sem glamour mesmo.

Estudando e puxando na memória o gosto da comida do pai, ela vai inventando. A ideia é variar semanalmente o cardápio para conseguir fazer coisas diferentes e que, geralmente, não encontramos com facilidade. Mariana ainda se considera nova na cozinha, apesar de estar há anos lidando com ela diretamente. Qual é o seu tipo de culinária, ela ainda não sabe. A única certeza é, sempre, incrementar pratos vegetarianos e veganos. Para ela, é isso que faz sentido. “Eu vou criando e, ao mesmo tempo, levando minha política.”

A receita que ela ensina é a de uma quiche de queijo minas curado com alho poró. Ela escolheu essa porque conta que, toda vez que vai visitar a mãe, ela pede para fazer. “É um pouco uma comida de festa, final do ano.” O interessante para ela é que não deixa de ser uma torta, mas, apesar disso, parece mais elaborada. O queijo minas foi incrementado para valorizar, também, o que é daqui, está próximo, com fácil acesso.

O conteúdo continua após o anúncio
Quiche
(Foto: Fernando Priamo)

Quiche de queijo minas curado com alho poró

Por Mariana Bedendo

Ingredientes para a massa
1 + 1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de manteiga
1 gema
1/2 colher de chá de água (se necessário)
1 pitada de sal

Modo de preparo
Em uma tigela misture a farinha com o sal. Junte os cubos de manteiga gelada e misture com as pontas dos dedos até formar uma farofa grossa. Acrescente a gema e vá misturando com as mãos até conseguir formar uma bola. Se a massa ainda não der a liga, acrescente água gelada até unir tudo uniformemente. Modele a massa como um disco para ficar mais fácil de abrir. Embrulhe em filme plástico e leve para a geladeira por cerca de 1 hora (se preferir, pode preparar a massa no dia anterior). Retire a massa da geladeira, e forre a bancada com plástico-filme. Disponha a massa e faça outra camada de plástico filme sobre ela. Abra a massa com um rolo entre os plásticos-filme até formar um círculo suficiente para cobrir o fundo e laterais de uma forma com fundo removível de 24 cm (abrir a massa entre o plástico-filme vai te auxiliar na hora de transferir a massa para a forma). Retire o plástico de um dos lados e, com cuidado, vire sobre a forma. Com as pontas dos dedos, pressione delicadamente a massa para cobrir todo o fundo e lateral da forma. Retire o plástico-filme da outra lateral e passe uma faca reta sobre a borda para cortar o excesso de massa. Faça furinhos com o garfo no fundo da forma e leve a massa para a geladeira por 20 minutos. Preaqueça o forno a 220 graus (temperatura média-alta) enquanto a massa gela novamente. Corte um papel-manteiga um pouco maior que a forma, coloque sobre a massa e preencha com grãos de feijão cru ou qualquer outro grão disponível (eles vão ser um peso que evitará que a massa infle ao assar. Leve ao forno por cerca de 20 minutos para pré-assar. Enquanto isso, prepare o recheio.

Ingredientes para o recheio
200g (ou 1 xícara) de creme de leite fresco
2 ovos
1 clara
4 pitadas sal
1 pitada de noz-moscada
1 pitada de pimenta-do-reino branca
150g (ou 1 xícara) queijo meia cura
Quanto baste de alho-poró (usei meio, depende do tamanho)

Modo de preparo
Corte o talo dos alhos-porós em rodelas com cerca de 1cm. Lave sob água corrente e deixe escorrer bem a água e reserve. Pique o queijo em quadradinhos e reserve. Em uma tigela pequena quebre os ovos, junte a clara e bata com fuet ou garfo. Junte o creme de leite fresco, tempere com o sal, a pimenta e a noz-moscada. Misture até ficar homogêneo. Retire a massa pré-assada do forno e, com cuidado, retire o papel manteiga com os grãos de feijão da assadeira. Cubra o fundo da massa com o queijo picado e o alho-poró. Regue com a mistura de creme de leite e ovos. Volte a quiche para o forno para assar por cerca de 30 minutos, ou até inflar e dourar. Retire do forno e sirva a seguir.

Leia também: Canjica de doce de leite: sabor da tarde

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia