Como preparar a sua casa para o novo ano

Profissionais dão dicas para fazer a limpeza física e energizar ambientes

Por Bárbara Riolino

24/12/2017 às 07h00

Criar um talismã, segundo Viviane Mendes, pode ajudar a equilibrar as energias e manter a fluidez da casa e da mente. (Foto: Leonardo Costa)

Faltam poucos dias para a despedida, de vez, de 2017. E é nesta última semana que reservamos um tempo para nos organizar e nos preparar para receber o novo ano. Há quem goste de fazer uma limpeza geral nesta época, desfazendo-se de coisas velhas para espaço ao novo, ao inédito, dando mais fluidez na casa e, consequentemente, na vida.

“Essas limpezas representam um fechamento de ciclo. O fim do ano, assim como todo final de alguma coisa, nos permite olhar para o que aconteceu, agradecer e se abrir para novas possibilidades”, destaca a professora de yoga, terapeuta em constelação familiar e three in one, Viviane Mendes. Para ela, uma boa forma de preparar a casa para receber as energias do ano novo, para que a mesma venha a refletir em seus moradores, é retirar objetos em desuso, que estão quebrados ou que já não possuem mais ligação com o dono. Vale dar nova destinação a roupas, sapatos, brinquedos, adornos e até móveis.

“Após fazer esta faxina física, é interessante limpar a casa energeticamente, fazendo uso de incenso, oração, mantra, água solarizada, aromaterapia. Escolha a forma na qual você se sinta mais conectado”, sugere. Outra dica de Viviane é introduzir um objeto novo dentro de casa, que servirá como um talismã para 2018. “Pode ser um objeto para casa ou pessoal. Pode usar uma planta, uma mandala, um filtro dos sonhos, artigos espirituais das diferentes tradições e cristais.”

Por onde começar?

Sete dias é tempo suficiente para dar aquela faxina geral em casa. O primeiro passo, segundo a personal organizer Renata Haddad, é simples: “O ponto de partida é começar separando o que não se usa mais. No caso de roupas, sapados, bolsas e acessórios, deve-se questionar se eles foram usados nos últimos seis meses. Se a resposta for não, é melhor se desfazer deles”, recomenda.

Já adornos e peças decorativas, Renata sugere, sempre que possível, dar uma reciclada neles, mudando-os de lugar ou atribuindo outras funções. “Caso isso não seja mais possível, a dica é desapegar, principalmente de peças que não têm valor afetivo.” Para que a organização de final de ano permaneça durante os próximos 365 dias, a personal organizer destaca que é preciso criar “um lugar” para cada um desses itens e mantê-los lá sempre. “Definindo o local onde ficará cada objeto, roupa ou utensílio, fica mais fácil manter a casa sempre organizada. Isto também nos faz ganhar tempo e praticidade.”

Para que a organização de final de ano permaneça durante todos os dias em 2018, a personal organizer, Renata Haddad, sugere criar locais para guardar objetos e mantê-los no sempre no seu lugar (Foto: Marcelo Ribeiro)

Outra dica de ouro, segundo ela, é utilizar recipientes como caixas, cestas, vidros, para organizar itens da mesma natureza. “Para facilitar a busca, invista em adereços como aramados suspensos, caixotes e caixas para organização.”

O conteúdo continua após o anúncio

Limpando a casa e a mente

Quando nos desapegamos daquilo que não tem mais serventia para nós, nos deparamos com um vazio, que corresponde ao encerramento de um ciclo. No caminho espiritual, para Viviane, o sentido é o mesmo. “Temos dificuldades em liberarmos aquilo que não nos serve mais, por isso, guardamos muito lixo interno. O final de ano é uma boa oportunidade de fazer esta faxina interior”, recomenda.

Na visão da palestrante e idealizadora do projeto Equilibra-te na Natureza, Junia Bretas, o término de um ano significa que também chegou a hora de encerrar um ciclo internamente. “Nos sentimos estimulados a rever comportamentos e a implementar mudanças em nossa vida. O ideal é que esse anseio por mudanças independa de datas ou circunstâncias externas”, destaca.

Associar a organização da mente à organização da casa, para Junia, resulta em uma analogia interessante. Ela costuma dizer que “Sua mente é como a sua casa, só entra quem é por você convidado”. A disciplina que temos, ou a falta dela, reflete na nossa organização ou na bagunça interior. “Isso pode parecer estranho, entretanto, se você começar a observar atentamente, vai perceber uma certa similaridade entre a maneira como você organiza seu guarda-roupa e a sua maneira de organizar as ideias”, exemplifica.

Ainda sobre essa similaridade, a palestrante ressalta que o universo se movimenta de maneira equivalente em todos os planos. É muito provável que uma pessoa virtuosa, justa, sábia e equilibrada consiga deixar um rastro de luz e beleza por onde passar. “Uma mente harmoniosa tende a deixar o espaço à sua volta cada vez mais harmonioso. Desta forma, sua alma, sua mente e sua casa agradecem!”.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia