Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Festival Música e Educação já está com inscrições abertas em JF

Evento está marcado para os dias 12, 13 e 14 de abril


Por Tribuna

26/03/2019 às 14h38

Mauricio Maas é uma das atrações do festival (Foto: Divulgação)

Estão abertas as inscrições para o Primeiro Festival de Educação Musical de Juiz de Fora e Região. O evento surgiu com um questionamento envolvendo a carência de ensino musical e também a forma como é produzido esse ensino. Para o idealizador da iniciativa, Rafael Motta, é necessário atualizar a forma como a educação musical é ensinada. “Como a gente já tem trabalhado nessa área de ensino musical há oito anos, percebemos que muitos professores que queriam trabalhar com aula de música não tinham conhecimento ou não tiveram contato com a pedagogia musical, com educadores musicais e com uma forma de ensinar diferente. Cheguei à conclusão que a gente precisava investir neste ramo, na questão da formação de educadores musicais e também na profissionalização e valorização desse nicho.”

No total, serão três dias de evento, 12, 13 e 14 de abril, com mais de 24 horas de atividades, incluindo workshops e palestras. Um dos destaques da programação é o workshop de educação inclusiva com Luiz Alberto, criador do projeto Música Tátil. “Ele é deficiente visual e vai falar sobre toda essa trajetória, de buscar esse aprimoramento, como foram as barreiras que ele enfrentou, e hoje como trabalha isso com os deficientes visuais. Já na segunda, dia 15, vamos oferecer uma oficina aberta para deficientes visuais poderem fazer uma aula de música com a gente no Catavento”, explica Rafael. Outra atração é Maurício Maas, multi-instrumentista, ator, professor, sonoplasta, diretor e produtor musical, integrante do grupo Barbatuques.

O conteúdo continua após o anúncio

As inscrições já estão sendo feitas pelo site ou na sede da Catavento  (Rua Santo Antônio 466 – Centro), no valor de R$ 350, parcelados em até 12 vezes. Os interessados não precisam ter formação em música. “Na verdade um dos pontos é esse, conseguir trazer a pessoa que já trabalha com música mas não tem formação e está buscando se especializar, professores de artes… tem a parte acadêmica também, tem muito estudante universitário se inscrevendo. Nossa ideia é conseguir integrar pessoas que não têm formação e trabalham com música até a pessoa que está se especializando e buscando novos conhecimentos.”

 

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia