Ausência

Este é o segundo vilão que destrói a felicidade no casamento. Vamos dar um strike nele também?

Por Gilsara Mattos Côrtes

engin akyurt YxiW hx3lyA unsplash
Foto: Engin Akyurt – Unsplash

Seguindo o prometido no artigo “Descobrindo os Inimigos”, vamos falar hoje sobre o segundo vilão  mais citado pelos casais para a infelicidade no casamento: AUSÊNCIA.

Trabalho demais, acomodação… seja lá qual for o motivo, essa é uma grande falha que leva ao cartão vermelho, à expulsão de campo, ao game over.

Vou dar umas dicas básicas, mas se não funcionar, venham para a terapia! 🙂

Se você anda  deixando a desejar neste quesito, é hora de tomar uma atitude para o bem conjugal.

Trabalho demais? Reorganize-se. Você é importante para a sua família no papel que você ocupa: pai, mãe, marido, esposa. 

Mesmo que todos entendam que você está se ausentando pelo bem (financeiro para a  sobrevivência) de todos, isso não evita a tristeza que a sua ausência causa.

É preciso estar presente emocionalmente e fisicamente.

Anda desestimulado(a)? Saiba que passar um tempo diário com a família, se importando com o que cada um tem feito, jantando juntos, assistindo filmes juntos, fazendo tarefas em grupo e brincando, é um dos mais potentes energizantes e desestressantes do mundo.  E é grátis. 

Mas é claro, nestes momentos, nada de falar de trabalho, problemas e preocupações. Estes são momentos para vocês curtirem uns aos outros como pessoas. E nada mais.

Este mundo é um ringue, todos sabemos, mas se esforce para fazer isso pelo menos nos finais de semana. 

No começo a roda parecerá quadrada, mas forçando-se a empurrá-la cada dia mais, com o tempo ela rodará mais macia que pudim. 

E vocês todos verão como as tarefas diárias lá de fora, se tornarão mais fáceis e amenas devido  a força física e emocional que este hábito vai causar. 

E isso, é claro, leva ao sucesso inclusive do romance, pois mantém a conexão apesar de na maioria do tempo termos que surfar na chapa quente. 

Agora, engana-se quem acredita que o trabalho e a responsabilidade são apenas da porta de casa pra fora e que o casamento é onde você pendura as suas botas depois da labuta.

Casamento, meus queridos, é o trabalho número 1. 🙂

Ele é como uma empresa aberta pelos dois. E os filhos são acionistas. Portanto, como em qualquer empresa comercial, o casamento é onde ambos têm responsabilidades a cumprir um com o outro muito além de pagar as contas.

Sabia que os cônjuges têm responsabilidades a cumprir um com o outro, até mesmo sexualmente?

É! Um precisa estar sempre zelando pela felicidade do outro, e o sexo é o que diferencia os cônjuges de um relacionamento entre amigos.

Um precisa ser o melhor amigo do outro, mas se não tiver este relacionamento entre si, com o tempo nem amigos mais serão um do outro.

Sexo é o que afirma que são um casal.

Por isso inclusive, o sexo tem que parar de ser banalizado, pois ele tem um significado muito maior do que apenas físico.

Além desse compromisso, ambos têm que zelar pela  empresa em sua estrutura física e também  espiritual que é o amor.

O amor fornece o kit que precisam para desempenharem este importante trabalho: respeito, boa vontade, generosidade, perdão, parceria, amizade e outras várias ações primordiais.

Não é possivel manter o casamento e muito menos ser feliz nele sem considerá-lo um trabalho de ambos.

Para hoje prescrevo: “Monte Carlo” e “Cartas para Julieta”. Assistam com atenção esses dois filmes. 😉

*Enviem suas perguntas para [email protected]

Até mais. 🥂

 

 

Gilsara Mattos Côrtes

Gilsara Mattos Côrtes

Criadora do curso “Felizes para Sempre, Existe!”, Gilsara Mattos Côrtes é  terapeuta pela IBFT, e pretende levar aos casais a felicidade conjugal das telas de cinema, esta almejada realidade para as suas vidas. Em sua coluna, vai compartilhar dicas que os leve a trilhar o caminho até este objetivo, retirando dele as ervas daninhas que o torna cheio de dissabores e desencontros. O casamento é como uma dança, que deve ser agradável para ambos enquanto desfilam no grande baile que é a vida. O objetivo da coluna é mostrar como acertar o passo, se afinar ao outro, dançar no mesmo compasso e se divertir com esta dança extasiante chamada casamento. É também publicitária, palestrante e autora de livros e roteiros para cinema.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também