Tópicos em alta: matheus goldoni / CPI dos ônibus / polícia / bolsonaro / reforma da previdência

Para botecar todo dia

Por Airton Soares

07/02/2019 às 08h50

Sou daqueles que pensam que não há dia certo quando o assunto é “botecar”. Não precisa “sextar” para ir a um bom boteco. E para isso eu conto com bares como o Dias, em Santa Terezinha, na Região Nordeste da cidade, que abre suas portas todos os dias da semana. Lá a cozinha está sempre produzindo tira-gostos quentinhos e gostosos. Você pode optar por pedir um da vitrine e comer lá mesmo no balcão do bar, batendo papo com os demais clientes que dividem o espaço mais democrático do lugar. Além disso é possível prosear com o Francisco e o Fabrício que comandam o bar com a mãe, Dona Ana, há 40 anos. Para isso, a estufa está sempre recheada e conta com várias opções de comidas, rápidas e clássicas, como o onipresente torresmo. Mas se estiver sem pressa ou querendo esticar a permanência pelas mesas de lá com uma turma de amigos, pode pedir um prato do cardápio, que conta com dezenas de opções para você curtir e compartilhar, já que são servidas em quantidade generosa e, principalmente, com aquele preço que cabe no nosso bolso e uma qualidade surpreendente.

 

Cardápio ou vitrine? Os dois!

Para os botequeiros mais puristas, a vitrine conta com o torresmo em tira, campeão de pedidos, ou o torresminho crocante e muito bem temperado. Encontramos também a língua recheada com bacon, pasteizinhos de queijo, camarão, carne e frango. Ah, e os bolinhos de carne e espinafre. Tudo é  renovado ao longo do dia, e os petiscos podem variar de acordo com a demanda dos clientes. Toda hora tem uma surpresa nos esperando.

Balcão e Vitrine: tradição nos butecos clássicos

O conteúdo continua após o anúncio

Já no cardápio temos opções para compartilhar: também tem o torresmo servido em porções com mandioca, batata ou linguiça. Ou você pode pedir fígado acebolado, uma moelinha suculenta, a tilápia dourada, jiló à milanesa entre tantos outros pratos. Não posso esquecer os pratos  premiados do concurso Comida di Boteco: Dobradinha da Rainha, que lá é servida acompanhada de linguiça; o Mineirim come quieto, que é uma tenra maçã de peito de boi com batatas e farofa de jiló, ou ainda o de nome mais curioso:      “Nóis é Jeca mas é Jóia”, que leva língua recheada com bacon acompanhada de batatas cozidas. Eu acredito que esse é o segredo do Bar Dias para tantos prêmios: usar os ingredientes mais tradicionais da cozinha de raiz, preparados com capricho e sabor.

 

E tem mais: às sextas e aos sábados entra em campo, na hora do almoço, a tradicional feijoada da casa. Eu adoro essas opções com data e hora marcada para sair das panelas. Deixa todo mundo ansioso para comer e curtir o prato especial do lugar. Nesses dias, vale a regra: acabou, acabou! Se perder a hora, se programe para chegar mais cedo na próxima semana. Ou faça uma reserva pelo telefone, para não perder a viagem, né?! Anote aí o endereço, o telefone, e vamos Juntos?!

Bar Dias

Segunda a sábado, das 9h à meia-noite, domingo, das 9h às 21h. Tel.: 3224-9914 / 98412-9025

Rua Luiz Rocha 2 – Santa Terezinha

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.

Desenvolvido por Grupo Emedia