Tópicos em alta: polícia / chuva

Justiça autoriza entrevista de Adelio Bispo para TV

Liderança do PSL protocolou pedido na Justiça Federal em Juiz de Fora para impedir acesso da imprensa ao preso

Por Daniela Arbex

21/09/2018 às 16h49- Atualizada 21/09/2018 às 17h15

O deputado federal Fernando Francischini, líder do PSL, protocolou, sem sucesso, pedido na 3ª Vara Federal em Juiz de Fora, com o objetivo de impedir que o autor do atentado contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), Adelio Bispo de Oliveira, seja entrevistado pelo jornalista do SBT, Roberto Cabrini. O juiz federal Bruno Savino informou à Tribuna não haver motivo para negar o contato do investigado com a imprensa. No início da semana, o juiz deferiu o pedido feito pela emissora.

Segundo o magistrado, a defesa de Adelio não se opôs à realização da entrevista. Além disso, o Ministério Público Federal afirmou tratar-se de questão afeta à direção da Penitenciária Federal de Campo Grande (MS), por entender que o pedido da imprensa envolve a segurança do estabelecimento prisional. “Pois bem, uma vez que as próprias partes não se opõem à realização da entrevista, não há motivo para que este juízo impeça a realização do ato”, afirmou em seu parecer.

 

O conteúdo continua após o anúncio
adelio1 adelio2 adelio3
<
>

O juiz Bruno Savino também orientou que pedidos relacionados à demanda da imprensa deveriam ser dirigidos à direção do presídio, bem como ao respectivo juiz federal corregedor da Penitenciária Federal de Campo Grande, por envolver a análise de questões afetas às rotinas administrativas.
Procurado pela Tribuna, o diretor de subsecretaria da 5ª Vara Federal de Campo Grande, Jair dos Santos Coelho, informou não ter conhecimento sobre o pedido feito pelo SBT. Disse, ainda, que o juiz corregedor da Penitenciária Federal de Campo Grande, Dalton Igor Kita Conrado, autorizou a entrada da revista “Veja” dentro da unidade onde Adelio Bispo está preso. Um pedido de entrevista encaminhado pelo jornal “O Globo” ainda não foi apreciado, segundo o diretor.

Nesta sexta-feira, o juiz Bruno Savino encaminhou ofício ao deputado com cópia de sua decisão, afirmando, ainda, que a apuração de eventual infração a dispositivos da Lei 9.504/97 (Lei das Eleições), como foi sugerido pelo deputado Fernando Francischini em seu pedido, é competência da Justiça Eleitoral.

O candidato do PSL foi atingido por uma facada desferida por Adelio Bispo de Oliveira durante ato de campanha na região central de Juiz de Fora no dia 6 de setembro, uma quinta-feira.

Tópicos: bolsonaro / justiça

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia