Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Vinte e uma crianças morreram de Covid-19 em Minas desde o início da pandemia

Dados são dos cartórios de Registro Civil do estado; maior parte dos óbitos ocorreu em crianças de 6 a 11 anos


Por Carolina Leonel

14/01/2022 às 18h48

Os Cartórios de Registro Civil de Minas Gerais registraram, entre março de 2020 e a primeira semana de janeiro deste ano, 21 mortes de crianças com idades entre 5 e 11 anos por Covid-19. O levantamento, feito pelo Sindicato dos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado de Minas Gerais (Recivil), mostra ainda que a maior parte dos óbitos ocorreu em crianças de 6 e 11 anos. Em ambas as faixas etárias, o número de falecimentos registrado foi de quatro. Também foram a óbito no estado três crianças com 7 anos, três com 8, três com 10, duas com 5 e duas com 9 anos de idade. A vacinação contra a doença para este público teve início no país nesta sexta-feira (14). Em Juiz de Fora, o início da imunização está programado par ima quinta-feira (20).

Os dados contabilizados pelo Recivil fazem parte do Portal da Transparência do Registro Civil, base de dados que reúne as informações de nascimentos, casamentos e óbitos registrados pelos 7.663 cartórios brasileiros -, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil). O levantamento não aponta dados por municípios.

O conteúdo continua após o anúncio

Óbitos subiram de 2020 para 2021

Ainda conforme o levantamento, o ano de 2021 registrou mais mortes cuja causa consta como Covid-19 (12), em relação a 2020 (9). Na primeira semana de janeiro de 2022, não foram contabilizados óbitos por Covid-19 de crianças entre 5 e 11 anos, embora os Cartórios de Registro Civil tenham o prazo legal de até dez dias para enviar os dados ao Portal da Transparência do Registro Civil.

“Observa-se, nos números compilados, que dentre as causas das mortes infantis por Covid-19, na faixa etária de 5 a 11 anos, o estado de Minas Gerais ocupa a quarta posição no ranking nacional de índice de óbitos. Embora o Estado tenha adotado medidas restritivas desde o início da pandemia, percebe-se ainda a necessidade de se manter as prevenções, entre elas podemos destacar, neste momento, a estratégia para garantir a imunização de forma ágil e segura da menor faixa etária possível”, destaca Genilson Gomes, presidente do Recivil.

Já no Brasil, as crianças entre 5 e 11 anos totalizaram 324 falecimentos por Covid-19 desde o início da pandemia. Entre os estados brasileiros, São Paulo, estado mais populoso do país, respondeu percentualmente por 22,8% dos óbitos de crianças nesta faixa etária, seguido por Bahia (9,3%), Ceará (6,8%), Minas Gerais (6,5%), Paraná (6,2%), Rio de Janeiro (5,9%) e Rio Grande do Sul (4%). Amapá, Mato Grosso e Tocantins foram as unidades que registraram o menor número de óbitos na faixa etária.

Tópicos: coronavírus / vacina

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia