Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

‘Avança Minas’ prevê investimentos de R$ 13 milhões em Juiz de Fora

Pacote de retomada econômica anunciado pelo governador Romeu Zema (Novo) contempla obras da Escola Estadual Delfim Moreira e da interseção entre BR-040 e AMG-3085


Por Tribuna

10/09/2020 às 19h51

As obras da Escola Estadual Delfim Moreira e da interseção entre a BR-040 e a AMG-3085 foram contempladas pelo pacote de retomada econômica “Avança Minas”, anunciado, nesta quinta-feira (10), pelo governador Romeu Zema (Novo). Do montante de R$ 1 bilhão previsto para investimento em obras públicas, cerca de R$ 13 milhões são destinados à intervenção no antigo prédio do Grupo Central, já em andamento, e no entroncamento de rodovias entre os municípios de Juiz de Fora e Goianá, a ser ainda iniciada. A estimativa do Governo mineiro é de que as obras gerem “35 mil empregos diretos e indiretos, contribuindo com mais de R$ 3 bilhões para o Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios, além de cerca de R$ 181 milhões em arrecadação de impostos”. O secretário-geral de Estado, Mateus Simões, e o diretor-geral do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), Fabrício Sampaio, participaram do lançamento.

As obras de restauração do Palacete Santa Mafalda – localizado na esquina da Avenida Barão do Rio Branco com a Rua Braz Bernardino -, edifício que abrigava a Escola Estadual Delfim Moreira até 2013, foram iniciadas ainda em julho de 2019. À época, Zema visitou Juiz de Fora para anunciar o aporte de, aproximadamente, R$ 8 milhões para a intervenção. Nesta quinta, o valor divulgado foi de R$ 10,1 milhões. A reforma do prédio é uma velha reivindicação da comunidade escolar de Juiz de Fora. A necessidade de reparos é cobrada desde 2013, quando foram constatados problemas de estrutura na edificação. Na ocasião, as atividades escolares foram transferidas para um prédio localizado na Rua Santo Antônio, cujos custos para os cofres estaduais são de aproximadamente R$ 50 mil por mês. Questionado sobre em que pé está o empreendimento, o Governo Zema não respondeu à Tribuna até o fechamento deste texto.

O conteúdo continua após o anúncio

A intervenção no trevo da AMG-3085, que liga a BR-040 à MG-353, em Goianá, por sua vez, foi autorizada por Zema em 25 de agosto último. Ao menos desde 2017, uma interseção provisória entre as rodovias, na altura da Barreira do Triunfo, é responsável por cumprir o papel originalmente previsto pelo trevo. Apesar de autorizada por Zema, a obra será ainda iniciada sob o custo de R$ 2,7 milhões. Não há ainda previsão para a conclusão dos trabalhos. A MG-353 é a principal via de acesso ao Aeroporto Regional da Zona da Mata.

Bias Fortes, Ubá e Cataguases contempladas

Além de Juiz de Fora, municípios da Zona da Mata, como Bias Fortes, Cataguases e Ubá, também serão contemplados pelo pacote de investimento em infraestrutura do Governo estadual. Juntas, as cidades receberão R$ 66,3 milhões de aporte dentre recursos estaduais, federais e também de saldos de convênios já firmados.
Entre os municípios de Antônio Carlos e Bias Fortes, está previsto o investimento de R$ 16 milhões em um empreendimento, cuja obra será ainda iniciada. Também estão programados intervenções para a contenção de encostas e um contorno, ambos em Cataguases. As obras estão avaliadas em, respectivamente, R$ 11 milhões e R$ 16 milhões. Em Ubá, contudo, a construção de uma cadeia pública já está em andamento e custará ao Estado R$ 22 milhões.

Desburocratização
Além do pacote de investimento em infraestrutura, Zema anunciou uma série de medidas de desburocratização de processos. De acordo com o Governo, uma delas é a publicação de um decreto que regulamenta em Minas Gerais a Lei Federal de Liberdade Econômica. Ainda conforme o Estado, a medida possibilitará a dispensa de alvarás de funcionamento de 642 atividades econômicas consideradas de baixo de risco, como, por exemplo, comércio atacadista e varejista, salões de beleza, bancas de jornal e oficinas mecânicas.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia