Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

JF Vôlei perde para o Vila Nova e tenta se salvar do rebaixamento nas últimas três partidas

Mesmo com derrota, clube juiz-forano sobe uma posição na tabela e continua lutando para se manter na Superliga B; técnico elogia postura


Por Davi Sampaio, estagiário sob supervisão do editor Bruno Kaehler

25/02/2022 às 16h48

O JF Vôlei saiu derrotado da partida contra o Vila Nova, na última quinta-feira (25), no ginásio da UniAcademia, em Juiz de Fora, pelo placar de 3 sets a 2, com parciais de 25/22, 28/26, 12/25, 22/25 e 17/15. Pelo fato de ter vencido dois sets, a equipe local ganhou um ponto, chegando a cinco e deixando a lanterna da competição, que agora é ocupada pelo Minas Náutico. O primeiro time fora da zona de rebaixamento é o Vôlei Futuro, com oito pontos.

A equipe juiz-forana começou a partida com Luís, Edwuin, Jardel, Gabriel, Abenildes, Índio e Mococa, de líbero. Com uma boa sequência de saque de Abenildes, o JF Vôlei esteve à frente em quase todo o primeiro set e fechou a parcial em 25/22. Já no segundo, o time do técnico Daniel Schimitz estava perdendo por 10/7, mas conseguiu virar o jogo e terminar na frente, com 28/26 no placar.Depois de vencer os dois primeiros sets, o JF Vôlei se perdeu no terceiro e foi facilmente derrotado, com um expressivo 12/25 a favor do Vila Nova. No quarto, o clube local chegou a abrir 10/6, mas deixou o time goiano virar e encerrar com um 22/25. A partida foi para o tie-break e acabou sendo decidida nos detalhes: 17 a 15 para o Vila.

O conteúdo continua após o anúncio

Experiência adversária faz a diferença

“O jogo de ontem foi nossa melhor partida, fizemos um grande jogo, apresentamos um voleibol de alto nível. Nos dois primeiros sets, fomos superiores, nossa rodada de bola foi muito boa. No terceiro, o clube teve um apagão e acabamos sendo superados. A equipe conseguiu voltar para o jogo no quarto, mas também não conseguimos vencer. O tie-break foi um jogaço, disputado até o fim, apesar de sairmos derrotados”, relata Daniel Schimitz, técnico do JF Vôlei, à Tribuna.

Com um time muito jovem à sua disposição, Daniel consegue ver o que foi decisivo para a derrota. “Eles fizeram valer a experiência que possuem, além do poder de ataque. Ficamos tristes pela forma como foi, podíamos ter saído com os três pontos, mas o ponto positivo é que somamos um ponto e saímos da lanterna”, avalia o treinador.

Ainda com possibilidade de permanecer na Superliga B, o JF Vôlei tem pela frente o Instituto Cuca (CE), fora de casa, a SMEL Araucária/ASPMA/Berneck (PR), em casa, e o Aprov/Chapecó (SC), em Santa Catarina, antes do encerramento da competição. “Temos três batalhas e tentaremos sair vitoriosos nos três jogos, para chegar a 12 pontos e tentarmos sair dessa situação, que hoje é bem delicada”, finaliza Daniel.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia