Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Juiz de Fora volta a receber WForce com 106 atletas e mais de 50 lutas

Expectativa de público é de 1.200 pessoas; torneio volta após dois anos, ocorre neste sábado e conta com disputas de boxe e kickboxing


Por Davi Sampaio, estagiário sob a supervisão do editor Bruno Kaehler

13/05/2022 às 07h00

Após mais de dois anos ser sem realizado devido à pandemia, neste sábado ocorre a terceira edição do WForce, evento que conta com lutadores amadores e profissionais de boxe e kickboxing. O torneio ocorre na casa de eventos Deu Praia (Av. Ver. Raymundo Hargreaves, 876, Fontesville), a partir de 12h, e tem na programação 11 lutas de boxe e 42 lutas de kickboxing, com 600 ingressos já vendidos e um público previsto de 1.200 pessoas.

São 106 atletas de Juiz de Fora e região, divididos em 32 equipes. De acordo com o organizador Diego Fernazi, o principal objetivo é revelar novos atletas da cidade, de forma a oportunizá-los para que possam mostrar os seus trabalhos para o público.

O conteúdo continua após o anúncio

No valor de R$ 50, os ingressos estão à venda na loja Arena Fight (R. Halfeld, 744, Loja, 05, Centro) e no Centro de Treinamento Warfight (Rua Maria Perpétua, 322, Ladeira).

Centenas de pessoas acompanharam a última edição do WForce, que espera cerca de 1.200 espectadores em 2022 (Foto: Paula Terra)

Além dessa visibilidade para os atletas, o organizador do WForce explica que a luta envolve muito mais que apenas os embates para o público. “Pela primeira vez, vamos estar realizando um evento em um lugar visto como estabelecimento de festas. Isso para as pessoas verem que além do esporte, os eventos de luta têm entretenimento”, explica.

Os lutadores de Juiz de Fora também terão oportunidade de atuar em sua cidade, visto que os principais eventos de artes marciais ocorrem em outros municípios. “A maioria deles tem que sair daqui e ir para eventos caseiros, mal organizados, com arbitragem tendenciosa. Iremos trazer árbitros de fora, e queremos dar a oportunidade dos atletas disputarem um campeonato com estrutura profissional”, conta Diego.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia