Tópicos em alta: CPI dos ônibus / polícia / fé na estrada / reforma da previdência / bolsonaro

Larissa Oliveira encerra o Pan de Lima com sete medalhas

Juiz-forana conquistou dois bronzes no fim de semana e contribuiu para marca histórica do Brasil

Por Tribuna

12/08/2019 às 18h30- Atualizada 12/08/2019 às 20h00

Na piscina, Larissa comemora uma das sete medalhas conquistadas somente em Lima, no Peru (Foto: Pedro Ramos/rededoesporte.gov.br)

A juiz-forana Larissa Oliveira conquistou, no último fim de semana, mais duas medalhas de bronze para o Brasil no Pan-Americano de Lima, no Peru, em provas de revezamento, e se isolou como a nadadora brasileira que coleciona mais medalhas na história dos Jogos.

A equipe brasileira formada também por Aline Rodrigues, Manuella Lyrio e Gabrielle Roncatto, conquistou o bronze nos 4x200m livre feminino, com o tempo de 8min7s77. Os 4x100m medley feminino encerrou a participação do Brasil na natação, com medalha de bronze. Larissa se uniu a Etiene Medeiros, Jhennifer Conceição e Giovanna Diamante e as brasilerias ficaram atrás apenas dos Estados Unidos (ouro) e Canadá (prata), atingindo a marca de 4min04s96.

O conteúdo continua após o anúncio

“A gente veio para fazer o nosso melhor e a consequência é quebrar várias barreiras. A equipe do Brasil veio preparada para essa competição, todos com objetivos altos. Cada um conseguiu atingir as suas metas que impactaram no quadro de medalhas”, destacou Larissa Oliveira para o Comitê Olímpico Brasileiro. Em Lima, a juiz-forana já havia conquistado o bronze nos 100m livre e nos 200m livre, as pratas nos 4x100m livre e 4x100m livre misto, e o ouro, comemorado na sexta (9), no 4x100m medley misto. Com estas, a atleta coleciona dez medalhas em suas duas participações nos Jogos, sendo três de Toronto, em 2015.

Melhor participação

Com 30 medalhas em cinco dias de competição, o Brasil superou em 2019 o número de medalhas do Pan anterior na natação, obtendo o melhor resultado de sua história no evento. Em 2015, a equipe brasileira havia conquistado 26 medalhas em Toronto; nesse ano foram dez ouros, nove pratas e 11 bronzes. Os responsáveis pela confirmação do recorde foram os atletas Guilherme Costa, ouro nos 1.500m, Caio Pumputis e Leonardo Santos, prata e bronze nos 200m medley masculino, e os revezamentos 4x100m medley masculino (prata) e feminino (bronze). Para atingir esses resultados, os brasileiros enfrentaram o cansaço acumulado da disputa do Mundial, que ocorreu na Coreia do Sul, antes do Pan, além do clima frio da capital peruana.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia