Tópicos em alta: sergio moro / dengue / polícia / reforma da previdência / bolsonaro

“Survivor”, juiz-forano disputa ultramaratona de 135km nesta sexta

Rodrigo da Silva Campos irá participar da Ultra dos Anjos, de largada em Itanhandu e chegada em Baependi, em modalidade sem carro de apoio

Por Bruno Kaehler

11/07/2019 às 16h32- Atualizada 11/07/2019 às 17h17

Rodrigo Campos disputará a terceira ultramaratona de sua carreira (Foto: Arquivo Pessoal)

A partir das 8h desta sexta-feira (12), o juiz-forano Rodrigo da Silva Campos, 30 anos, buscará completar percurso de 135km da Ultramaratona dos Anjos, evento que possui largada no município de Itanhandu (MG) com chegada em Baependi (MG), no Sul de Minas. O estudante de fisioterapia ainda irá disputar a prova na categoria survivor (sobrevivente), em que não será acompanhado de carro de apoio durante toda a participação. Além de carregar água, isotônico e comida enquanto corre, ele terá apenas quatro pontos de suporte para repor a hidratação e a alimentação.

“Na modalidade que eu vou competir, você só tem apoio em pontos específicos em Itamonte (MG), quando acumulam 25km, em Alagoa (MG), nos 65km, Aiuruoca (MG), nos 96km acumulados, e a chegada, em Baependi. Nestes locais posso repor tudo e mandar alimentação, o que já foi planejado ao longo do tempo e está tudo separado. Se fosse na modalidade com apoio, todos os itens obrigatórios (mochila de hidratação, duas lanternas, corta-vento, manta térmica, celular e medicamentos) poderiam ir dentro do carro”, explica Rodrigo.

A prova ocorre em asfalto e estrada de terra, com um limite de 34 horas para que os participantes completem os 135km. Há, ainda, um ponto de corte: os ultramaratonistas precisam chegar em Aiuruoca no prazo máximo de 24 horas. Apesar dos obstáculos, o juiz-forano antecipa que tem como meta finalizar a prova em período menor que um dia.

O conteúdo continua após o anúncio

“Meu objetivo é terminar a prova em 24 horas, mas, se tudo correr bem, posso até cruzar a chegada em menos tempo. Uma das grandes dificuldades da prova são duas subidas constantes de quase 20km cada. Uma é entre Itamonte e Alagoa, e a outra, entre Aiuruoca e Baependi, na chamada Serra do Papagaio. Isso tudo já com 95km de corrida percorridos”, destaca o atleta.

Nova experiência

Esta será a terceira vez que o ultramaratonista vivencia um desafio deste tamanho em sua trajetória iniciada em 2017. Nos dois últimos anos ele disputou as 24h da Mantiqueira, com a quarta colocação conquistada em ambas. Ao contrário da Ultra dos Anjos, que começa nesta sexta, nas provas já encaradas pelo juiz-forano, vence aquele que acumular a maior distância percorrida em um dia de evento. Na primeira vez, Rodrigo conseguiu acumular 167km. Na temporada seguinte, 13km a mais, com um total de 180km computados pelo atleta em 24h.

No final do ano, em 5 de outubro, Rodrigo ainda planeja disputar as 24h do Rio de Janeiro, outra prova contrarrelógio, em que também há limite de tempo para correr a maior distância possível.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia