Tópicos em alta: sergio moro / dengue / polícia / reforma da previdência / bolsonaro

Ortopedista radicado em JF vence Mundial de Futebol Médico pela Seleção Brasileira

Com a camisa amarelinha na categoria master, Jurandir Antunes Filho leva título inédito em evento realizado na Riviera Maya, no México

Por Bruno Kaehler

09/07/2019 às 16h46

Seleção Brasileira de Futebol Médico, com Jurandir vestindo a camisa número 11 (Foto: Divulgação)

O ortopedista Jurandir Antunes Filho, natural de Governador Valadares e radicado em Juiz de Fora há 32 anos, conquistou, no último fim de semana, o título do Campeonato Mundial de Futebol Médico da categoria master (acima de 45 anos), caneco inédito para a Seleção Brasileira desta faixa etária. Jurandir permaneceu na Riviera Maya, no México, do dia 29 de junho até a última segunda-feira (8), após a medalha de ouro ter sido conquistada no sábado (6).

Da esquerda para a direita, Jurandir, Marcos Dall’Oglio e Osvaldo Sakamoto (Foto: Arquivo pessoal)

Ao todo, a equipe canarinho fez seis partidas, com cinco vitórias e apenas um empate. Na fase de grupos, superou Argentina (5 a 2) e Lituânia (8 a 0), e empatou com os Estados Unidos. Os playoffs foram abertos com 10 a 0 sobre a Irlanda. Na semifinal, os donos da casa foram goleados pelos brasileiros por 7 a 0. O título veio com triunfo de 4 a 2 sobre a Colômbia.

O conteúdo continua após o anúncio

“O nível do torneio é muito alto, temos médicos que são ex-atletas profissionais, caso do Marquinho, ex-Internacional (RS), que, agora como Dr. Marcos Dall’Oglio, operou o José Alencar (ex-vice-presidente do Brasil) em São Paulo. Além, por exemplo, do Dr. Osvaldo Sakamoto, que jogou no Botafogo de Ribeirão Preto com Sócrates, e o João Volpe, que atuou no Palmeiras”, conta Jurandir.

Ao final da competição, o Brasil ainda foi o vencedor da disputa da equipe que mais anotou tentos no evento – 36 em apenas seis partidas, média de seis gols por confronto, e prêmio individual de melhor goleiro, destinado ao titular da Seleção, Kassey Vasconcelos. Além do arqueiro e de Jurandir, o time master nacional foi defendido por Marcos Dall’Oglio, Osvaldo Sakamoto, Carlos Giacometti, Guy Sordi, João Volpe, Gerson, Alexandre Liu, Euclides, Márcio Carneir, Antônio Siqueira, João Leal e Fernando Russo.

O Brasil ainda levou equipe para a categoria livre – a principal, e ficou em sexto, após eliminação para a Inglaterra em duelo terminado com o placar de 2 a 1. Nesta categoria, a Seleção já conquistou o ouro em cinco oportunidades, nas edições de 2004, 2005, 2006, 2007 e 2014. Neste ano o Mundial reuniu equipes de 20 países das Américas, Europa, Ásia e Oceania.

Euclides e Jurandir com o troféu do Mundial repleto de caveiras mexicanas, usadas para homenagear pessoas que já se foram em rituais do Dia dos Mortos (Foto: Arquivo pessoal)

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia