Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Manchester fecha a primeira fase do Mineiro contra o Contagem

Juiz-foranos precisam vencer para conquistar vaga na fase final da competição; partida ainda não terá público


Por Gabriel Silva, sob supervisão da editora Regina Campos. Colaborou Renan Ribeiro

06/11/2021 às 15h11- Atualizada 06/11/2021 às 15h13

O domingo (7) será de decisão para o Manchester Futebol na Segunda Divisão do Campeonato Mineiro. Às 11h, os Capivaras enfrentam o Contagem, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, em partida válida pela 9ª rodada do estadual. O jogo será o último dos juiz-foranos na primeira fase da competição, e a vitória pode deixar a equipe próxima da classificação para a etapa seguinte. Em caso de tropeço, por outro lado, o clube precisará de uma combinação de resultados para conseguir a vaga.

A partida provoca o embate dos dois primeiros colocados do Grupo C, equipes com características inversas: o Contagem tem a melhor defesa da Segunda Divisão, com apenas dois gols sofridos em seis partidas disputadas. O Manchester, por sua vez, tem o melhor ataque do grupo, somando sete gols em nove jogos. “O nosso dia a dia tem sido muito de trabalhar a parte ofensiva, porque precisamos da vitória e temos que furar o bloqueio deles”, afirma o treinador Eduardo Luersen.

Para o confronto decisivo, o Manchester não terá o volante Vicente, que está suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos. Matheus Batista e Raian surgem como opções para começar jogando. O zagueiro Luan segue lesionado e não será opção contra o Contagem.
Mantendo a base do último confronto, um provável Manchester tem: Matheus Poletine, Adson, Eduardo Santos, Rayan Ribeiro e Lucas Rodrigues; Matheus Batista (Raian), Bambam e Eliu Júnior; Kassinho, Júlio Azevedo e Hugo.

Equipe local entra em campo como vice-líder do grupo C (Foto: Daniel Braga)

TJD-MG suspende homologação do placar do jogo dos Capivaras contra o América-TO

O compromisso contra o Contagem será a oportunidade de o Manchester deixar para trás as polêmicas do confronto contra o América-TO, na última semana. Além da derrota, os juiz-foranos ficaram na bronca com a arbitragem pela anulação de um pênalti nos minutos finais da partida. Os Capivaras alegam interferência externa na decisão, visto que o árbitro Hieger Tulio Cardoso voltou atrás da penalidade depois de uma paralisação de 12 minutos, sob protestos de pessoas ligadas ao América.

No início da noite dessa sexta-feira (5), o vice-presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais, Guilherme de Carvalho Duval, deferiu o pedido de suspensão do resultado da disputa, até que o processo que pede a impugnação do jogo seja julgado em definitivo.

O diretor jurídico do Manchester, Manoel Denezine, reiterou que o clube considera graves os erros cometidos pela arbitragem na ocasião. “O vice-presidente concedeu o nosso pedido liminarmente e mandou oficiar a Federação e suspender o resultado da partida. O resultado fica inabilitado até o final do nosso recurso e agora vai ter o trâmite de todo o processo onde vai falar a Procuradoria do Tribunal, e o América vai ter um prazo para se pronunciar.”

O conteúdo continua após o anúncio

A assessoria do clube avalia como positiva a decisão e aguarda as próximas etapas do processo. A expectativa é de que, ao final do trâmite, o resultado seja favorável ao time juiz-forano. O pedido para a suspensão da partida foi feito na quarta-feira (3), a diretoria do Manchester protocolou protesto junto à Federação Mineira de Futebol (FMF) e pediu a impugnação da partida ao Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD).

Blindagem

Entretanto, o treinador Eduardo Luersen tenta blindar a equipe das disputas jurídicas. “Essas questões mais burocráticas a gente deixa para o setor jurídico. A gente tenta não se envolver, para não ter desvio de foco”, conta o técnico, apesar de admitir o abatimento após a partida contra o América. “Voltou (da partida) todo mundo muito chateado, muito perplexo, porque o jogo foi muito atípico (…). Mas tem que virar a chave. Segunda-feira foi um dia de folga e, na terça, a gente mudou o foco para o Contagem”, garante..

Calculadora na mão

O Manchester entra em campo como vice-líder do Grupo C, com 11 pontos. O Contagem, por sua vez, é o líder, com 13. Uma vitória deixa os juiz-foranos na liderança do grupo. Um empate ou um revés, por outro lado, fará com que os Capivaras percam uma posição na tabela, visto que Boston City e América-TO têm, respectivamente, nove e 11 pontos, e se enfrentam também no domingo, às 10h, em Manhuaçu.

Na Segunda Divisão, classificam os dois primeiros de cada chaveamento e os dois melhores terceiros colocados na classificação geral. Entretanto, pesa contra os Capivaras já ter sete jogos na competição, enquanto os outros concorrentes jogaram apenas seis vezes. Na última rodada da primeira fase, na próxima semana, o Manchester não entra em campo e assiste, de calculadora na mão, os confrontos entre Contagem e América-TO e entre Boston City e Betis.

O clima de decisão também reverbera entre o elenco e a comissão técnica dos Capivaras. Conforme lembra Luersen, a vitória é crucial para a manutenção do Manchester na competição e também para garantir as vagas dos atletas e da comissão no clube. “O foco é na vitória. (…). É importante em função de todo o pensamento que o clube tem, de sequência e de continuidade do futebol. A semana toda é uma semana especial. No dia a dia, estamos conversando com os atletas para colocar a importância de uma vitória”, explica.

Partida ainda sem público

O torcedor juiz-forano ainda não poderá assistir a uma partida do Manchester Futebol no Estádio Municipal. A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) afirma que três laudos necessários para a liberação do público estão regularizados: o documento de segurança, o de engenharia e o que assegura as condições sanitárias e de higiene do local. Na última quarta-feira, uma vistoria final do Corpo de Bombeiros iniciou o processo para o último aval.

“Após o retorno dos bombeiros e a liberação desse último laudo, o pedido segue para Belo Horizonte, para complementar os outros três laudos que já seguiram ao longo deste ano. O processo agora dependerá da Federação Mineira de Futebol (FMF) e o encaminhamento para o Ministério Público”, afirma a PJF, em nota, sem estimar previsão para que tudo esteja regularizado.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia