Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Hudson reforça vontade de investir no futebol de JF e abre escolinha do PSG

Ex-jogador e agora empresário, juiz-forano admite conversas com Villa Real, após contato com o Tupi, e pretende levar atletas para grandes do Brasil


Por Davi Sampaio, estagiário sob a supervisão do editor Bruno Kaehler

04/08/2022 às 17h16

Após anunciar sua aposentadoria nos gramados e conversar com o Tupi, o juiz-forano Hudson continua em busca de “fazer pela cidade”, como ele diz. O empresário adiantou à Tribuna que, nas últimas semanas, teve contato e estreitou laços com o Villa Real, novo time que estreia na Segunda Divisão do Campeonato Mineiro neste domingo (7), contra o Figueirense. Além disso, o ex-jogador trouxe uma escolinha do PSG para o Bairro Aeroporto, na Cidade Alta, com o objetivo de desenvolver potenciais talentos tanto masculinos quantos femininos de Juiz de Fora, entre os 4 e 19 anos.

Hudson entende que os clubes de futebol de Juiz de Fora precisam ter departamentos profissionalizados (Foto: Franklin Maimone)

De acordo com Hudson, suas visitas aos clubes de Juiz de Fora têm sido para conversar e entender melhor o panorama do futebol da cidade. “Aqui é um grande centro e tenho uma ligação muito forte, quero viabilizar projetos que tragam apoio aos clubes e que assim possam evoluir o futebol de Juiz de Fora. É muito claro que precisa de profissionalização de todos os departamentos e planejamento adequado para estar na elite dos principais campeonatos do país”, entende o empresário.

Questionado se há algum clube em que prefere investir, Hudson acredita que é necessário analisar de forma racional e prega cautela. “Tenho uma ligação muito forte com o Tupi e gostaria de buscar uma forma eficaz de ajudar o clube. Mas talvez não seja a curto prazo, ou nesse momento agora, esse projeto. Também estive no Villa Real a convite do Allan Taxista (presidente) para conhecer as estruturas físicas e a parte administrativa do clube. Fiquei surpreso positivamente com a metodologia e planejamento existentes. É um projeto sério, com pés no chão e que tenho certeza que em breve estará colhendo bons frutos. Outra agremiação que tenho proximidade é o Tupynambás. Espero que na próxima ida a Juiz de Fora eu possa me reunir com eles e estudar as possibilidades de ajuda”, pretende.

Hudson abre escolinha do PSG em JF

Seguindo a ideia de investir no futebol da cidade, Hudson irá estrear uma escolinha do PSG na Rua José Appolonio dos Reis, 364, no Bairro Aeroporto, em frente ao Clube dos Bancários. Neste domingo (7), a partir das 9h, irá ser realizado um “training day” aberto para todos atletas interessados entre 4 e 19 anos, no valor de R$ 50,00, que será descontado em caso de realização da matrícula. “Elaboramos esse primeiro dia para organizar o método de ingresso na Paris Saint-Germain Academy. Não tem como objetivo selecionar apenas os jogadores de nível técnico elevado. Ele serve para avaliar o desempenho técnico e tático do aluno e alocá-lo na turma mais adequada para assegurar o desenvolvimento máximo do seu futebol dentro da nossa metodologia. Nossa escola recebe atletas de todos os níveis. Com a nossa metodologia, todos têm a oportunidade de desenvolverem o seu futebol, independente do seu nível inicial”, acredita o ex-jogador de Santos, São Paulo, Cruzeiro e Fluminense.

Além de treinos de manhã, à tarde e no início da noite, de segunda a sábado, os alunos da escolinha irão disputar um torneio nacional, o Paris Saint-Germain Academy Cup Brasil, que dá a oportunidade de jogar na Arena Fonte Nova, em Salvador. Além dessa competição, os jogadores participarão de torneios regionais e municipais entre as unidades PSG Academy e equipes das regiões. Há, também, a possibilidade de “alunos serem selecionados a participarem do torneio mundial em Paris, o Paris Saint-Germain Academy World Cup, que une todas as unidades do mundo. Na última edição, os jogos foram realizados no Parc des Princes, estádio do PSG”, segundo Hudson.

O conteúdo continua após o anúncio

O projeto irá contar também com turmas do programa Student, que visa à formação de alunos que se destaquem para conseguir bolsas de estudos nos Estados Unidos e na Europa. “Temos contato direto com o clube francês. A escola depende do departamento técnico do PSG, e possibilita aos atletas o acesso à mesma metodologia utilizada nas categorias de base do clube em Paris. Até nossos treinadores são formados com a metodologia Paris Saint-Germain, e trabalham com um planejamento de treinos segundo o time”, explica o juiz-forano.

Por entender que a Lei Pelé dificulta um pouco o processo de envio de jovens atletas para Paris, Hudson quer enviar jogadores de Juiz de Fora para grandes times do Brasil. “Nesse ano mesmo, uma atleta de uma unidade em São Paulo foi para o Atlético-MG e convocada para a seleção brasileira Sub-20. No total, cinco ex-atletas da PSG Academy Brasil já foram convocados para jogar na seleção de base. Outros já foram para Flamengo, Fluminense e Santos”, conta Hudson.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia