Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Zona Norte terá Festival Literário neste sábado

Evento na Praça CEU tem na programação lançamento de livros, sarau, slam poético, roda de poesia e contação de histórias


Por Júlio Black

10/05/2022 às 07h00- Atualizada 10/05/2022 às 20h20

A Praça CEU, no Bairro Benfica, recebe neste sábado (14), às 13h, o 1º Festival Literário da Zona Norte, evento gratuito em que será realizado o lançamento e o relançamento de nada menos que 29 livros, além de roda de poesia, sarau, slam poético e contações de histórias. O festival marca o encerramento do projeto “Roda de poesia nas quebradas”, realizado por meio do Edital Cultura da/na Quebrada, do Programa Cultural Murilo Mendes, que já havia passado por outros quatro bairros de Juiz de Fora, e é organizado pela Confraria dos Poetas em parceria com o Fórum Literário de Juiz de Fora e outros nove parceiros.

Segundo o presidente da Confraria dos Poetas, Éric Meireles, o Festival Literário da Zona Norte é um desejo do Fórum Literário que se tornou um desdobramento do “Roda de poesia nas quebradas”, a partir da percepção que era necessário realizar eventos com o objetivo de divulgar escritores e poetas locais.

“Tivemos, em 2017, uma experiência na Praça CEU com o lançamento do livro ‘Universos divergentes’, que juntou mais de uma centena de poetas juiz-foranos nessa antologia, sendo 38 da Confraria dos Poetas. Essa experiência fez a gente enxergar o espaço do ponto de vista literário, e, quando fizemos o encontro literário no Espaço Cidade, ficou o gosto de continuar a parceria com a Leia-JF e avançar na unidade literária da cidade. Conseguimos unir nove entidades literárias para esse festival na periferia, que ainda vai realizar o sarau e o slam da Confraria dos Poetas, além da ‘Roda de poesia’”, diz.

Por meio do edital organizado pela Funalfa, o “Roda de poesia nas quebradas” já passou pelos bairros Nossa Senhora de Lourdes, Ponte Preta, São Benedito e Retiro, sempre tendo como meta unificar o movimento literário juiz-forano, para que desse o que Éric chama de “o salto necessário para chegar a mais gente”, avançando no aumento da leitura, venda de livros e no acesso a escritores e poetas locais.

“O Festival Literário da Zona Norte está ligado à necessidade de levar a literatura à periferia. Nossa expectativa é que ele vá para todas as regiões de Juiz de Fora e que consigamos fazer com uma certa regularidade. São os passos que temos para democratizar o acesso, e esse festival inaugura simbolicamente essa democratização, a relação do autor com o leitor da periferia. Para nós, é um grande salto”, afirma Éric, que aproveita para fazer um balanço do “Roda de poesia nas quebradas”, no momento em que o projeto chega ao seu final.

“Ele se mostra uma necessidade, seja pelas parcerias, por fazer a conexão de poetas do bairro com poetas de fora (desses bairros) e agregar outras linguagens artísticas nas intervenções poéticas, além de levar esses poetas a regiões aonde não iam, permitindo uma nova apropriação da cidade através da poesia”, acredita. “Um dos sonhos da Confraria dos Poetas é construir Juiz de Fora como um jardim poético, e esses canteiros periféricos são fundamentais, seja por meio dos slams escolares, das rodas de poesia nas escolas ou nos bairros. É um projeto que finaliza como edital, mas que tem necessidade de sua permanência.”

Troca de experiências

Éric Meireles acrescenta que eles pretendem realizar, ainda este mês, uma exposição fotográfica no Espaço Cidade. “Estamos em fase de negociação. Também pretendemos fazer uma ‘Roda de poesia’, no Parque Halfeld, para mostrar que conseguimos abarcar vários territórios periféricos de Juiz de Fora. E vale ressaltar essa parceria com a prefeitura através da Funalfa: participar do edital foi de fundamental importância, pois nos permitiu ter a estrutura necessária para levarmos esses poetas e realizar as atividades nos bairros, e perceber a importância de participar ainda mais dos editais e incentivar a cultura periférica a também participar deles.”

Ainda a respeito do balanço do projeto, ele volta a destacar a troca estética entre diferentes regiões. “Os bairros são diferentes, mas a gente pode construir uma identidade da poesia periférica contemporânea, e se a gente potencializar as rodas de poesias nas escolas e nos bairros, a troca estética entre poetas, facilita em demasia essa identidade da produção lírica e poética juiz-forana, essa produção periférica, e mostra aos bairros esses artistas, ampliando o público e garante permanência e participação.”

Festival Literário da Zona Norte – Programação

O conteúdo continua após o anúncio

Local: Anfiteatro da Praça CEU
13h15 – Abertura oficial
14h – Slam Confraria dos Poetas
15h30 – Sarau da Leia-JF

Local: Saguão do Anfiteatro
Leia-JF
14h – Lançamento livros adultos
“O diário do confinamento” – Artur Laizo
“SerUrBanO” – Jorge Lenzi (Financiamento do Programa Cultural Murilo Mendes)
“O processo da invenção na busca da liberdade: uma leitura crítica da poética de Murilo Mendes” – Marisa Timponi
“Sob a luz da poesia” – JR Amorim
“Tapete vermelho” – Rosangela Rossi
“O jogo da vida” – Denise Doro

União Brasileira de Trovadores (UBT) – Seção Juiz de Fora
15h30 – Lançamento livros adultos
“Cante, ainda que baixo & novos poemas” – IV Edição – Romilton Faria
“Será Deus o Deus da Bíblia?” – Ricardo Pires
“Trovas 4 X 7” – Arlindo Tadeu Hagen

Confraria dos Poetas
16h15 – Lançamento de livros adultos
“Descalço para o mundo” – Denilson Bento da Silva
“Versos cativos” – Sophia Bispo. (Fanzine)
“Antologia da Confraria dos Poetas” – Em forma de Roda de Poesia

Local: Sala de Leitura
Leia-JF
14h – Lançamentos livros infantis e contação de histórias
“A lupa mágica” – Luciane Fontes
“Biscoitos da amizade” – Luciane Fontes
“O menino que pulava” – Marisa Timponi
“Leco e seus amigos monstrinhos” – Alice Gervason
“Sem medo de aprender” – Alice Gervason
“As peraltices da vovó Lili” – Alice Gervason
“O menino que queria ser poste” – Alice Gervason
“Olhos de esmeralda” – Alice Gervason

Nzingas – Contos Africanos
15:00 – Lançamentos de livros infantis e contação de histórias
“Olelê – Uma antiga cantiga da África” – Fábio Simões
“O filho do vento” – Rogério de Andrade Barbosa
“Bruna e a galinha d’angola” – Gercilga de Almeida

Confraria dos Poetas
Lançamentos de livros infantis e contação de histórias
“Cidade carícia” – Aparecida Tavares
“Um ano diferente” – Aparecida Tavares
“A lenda do Morro da Boiada” – Antônio Carlos Lemos Ferreira

UBT – Seção Juiz de Fora
16h15 – Lançamentos de livros infantis e contação de histórias
“O fundo do mar” – Messias da Rocha e Ivana Poletti.
“O menino penoso” – Romilton Faria (2ª edição)

Leia -JF
16h45 – Lançamentos livros infantis e contação de histórias
“Dante, o elefante comediante” – Mariselia Souza

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia