Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Poemas de setembro O TAL SETEMBRO


Por RENATA DELAGE

02/10/2013 às 07h00

De linear, já basta o mês de setembro. Trinta dias encadeados, que recomeçam a cada 12 meses. Os poemas que integram o novo livro de Anelise Freitas, escritos um por dia no nono mês do ano de 2012, chegam aos leitores em páginas soltas. Os dias, embora se encadeiem, nem sempre funcionam de forma linear, explica a autora de O tal setembro (Os 4 Mambembes), que será lançado nesta quinta, no Onze Bar.

Como cartas sem endereço de destinatário, as páginas podem ser lidas na ordem e da forma preferidas pelo leitor. Os livros foram feitos a mão e possuem um carimbo particular, com ilustrações do músico Rodrigo Rocha. Embora conte com mesma fonte e matriz para o desenho da capa, cada exemplar é único, conforme planejado pela poeta, também autora de Vaca contemplativa em terreno baldio (Aquela Editora, 2011) e coorganizadora do grupo Eco Performances Poéticas.

A ideia surgiu de um encontro com uma amiga astróloga, em meados de 2012. Não a via há muito tempo, mas ela me disse que tinha feito meu mapa astral. Segundo ela, setembro seria o mês da minha vida, guardaria muitas mudanças, coisas animadoras e auspiciosas, conta. Por fim, lembrando-se da revelação, Anelise decidiu enveredar-se no projeto de criar um poema a cada dia do mês. Se o mês foi produtivo por causa do alerta ou porque os astros assim escreveram, a poeta jamais saberá. O tal setembro resultou em livro, constata.

O conteúdo continua após o anúncio

Como se dedica ao estudo da poesia diariamente, a falta de inspiração que poderia acometer a poeta momento ou outro foi contornada pelo compromisso de cumprir um projeto maior. Às vezes, não é tão fácil, mas nem tudo é inspiração na poesia. Foi preciso escrever de forma poética o que estava vivendo naquele dia.

De maneira semelhante à adotada pela escritora em sua primeira obra, o livro terá lançamento em outras cidades. Ainda nesta semana, a autora estará no sarau de abertura da Feira Literária de Valença (Fliva) e no Labirinto Poético, evento de poesia, que acontecerá na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

Quinta, às 20h

Onze Bar (Rua Pedro Botti 11 – Alto dos Passos)

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia