Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

“Comboio do Bem” inicia apadrinhamento de cartinhas de Natal e pretende atender 500 pedidos

Carreata para entrega dos presente acontecerá no dia 3 de dezembro; confira como participar


Por Tribuna

30/10/2021 às 18h45

O “Comboio do Bem” está de volta à ativa. Depois de precisar cancelar a iniciativa por conta da pandemia de Covid-19 em 2020, o grupo de amigos, parceiros e voluntários já vem realizando o apadrinhamento de pedidos feitos ao Papai Noel. A ação, que completa 20 anos em 2021, pretende atender 500 jovens de cinco instituições de Juiz de Fora.

As cartinhas são escritas por crianças da Apae JF, Educandário Carlos Chagas, Escola Estadual Maria das Dores, Instituto Bruno e Instituto Vitória. Ao todo, a expectativa é realizar a entrega de 1.500 presentes e 20 mil fraldas. A visita vai acontecer no dia 3 de dezembro.

O conteúdo continua após o anúncio

Como apadrinhar

Ao padrinho interessado, basta fazer contato com a equipe do Comboio do Bem, adotar uma das cartinhas e fazer a entrega do presente em dia previamente combinado com os organizadores. A partir daí, a logística de distribuição no dia 3 de dezembro é feita pelos voluntários. Todo o material é entregue pelo grupo, que tradicionalmente sai do 4º Batalhão de Bombeiro Militar de Minas Gerais ainda pela manhã e, ao longo do dia, faz as entregas nas instituições.

No dia, todos os presentes serão levados por um grande comboio de veículos, formado por motos, viaturas e caminhões de órgãos de esferas municipais, estaduais e federais. Saindo do 4º Batalhão de Bombeiros Militar, localizado na Avenida Brasil, no Centro de Juiz de Fora, às 6h30, a estimativa é de duas visitas na parte da manhã e outras duas na parte da tarde, com encerramento de todas as atividades por volta das 16h.

O contato pode ser feito pelo Facebook (fb.com/ComboiodoBem), Instagram (@ComboiodoBem) ou pelo telefone (32) 9 9965-8095.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia