Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / lockdown / vacina / polícia / obituário

Vigilância Sanitária fiscaliza supermercado e não encontra irregularidades

Postagens nas redes sociais questionavam medidas adotadas na unidade do Bretas São Pedro após funcionário testar positivo para Covid-19


Por Sandra Zanella

30/06/2020 às 19h26- Atualizada 30/06/2020 às 19h34

Denúncia nas redes sociais sobre a possível contaminação por coronavírus de funcionários que trabalham em uma das lojas da rede varejista de supermercados Bretas mobilizou a Vigilância Sanitária na última segunda-feira (29). Um denunciante questionava as medidas adotadas pela empresa, como a continuidade das atividades e o não fechamento para sanitização, após o afastamento de um colaborador que teve sintomas de Covid-19. No entanto, nenhuma irregularidade foi constatada na unidade do Bretas São Pedro pela Prefeitura de Juiz de Fora. Nesta terça (30), o Município reforçou que tais ações, como a interrupção dos trabalhos para desinfecção, são opcionais, e não obrigatórias. O Bretas confirmou que um funcionário da unidade apresentou, na segunda, seu exame positivo para Covid-19, e disse que o mesmo já estava afastado há nove dias, mediante atestado. A empresa garantiu estar tomando todas as precauções relacionadas à higienização do espaço.

Apesar de ter causado apreensão nas redes sociais, a denúncia sequer chegou ao conhecimento do Sindicato dos Empregados no Comércio de Juiz de Fora. “Estamos atendendo os telefonemas nos plantões. É só as pessoas ligarem para a gente checar e tomar as providências. Não precisa se identificar”, orientou o presidente da entidade, Silas Batista da Silva. “Estamos vigilantes e não temos deixado de fazer nossa parte”, garantiu o sindicalista.

Em nota, a assessoria da Secretaria de Saúde da PJF confirmou que o Departamento de Vigilância Sanitária (Dvisa) esteve no Bretas São Pedro na última segunda-feira, onde realizou inspeção, constatando que os profissionais com suspeita de Covid-19 haviam sido afastados do trabalho, sendo seguidas todas as medidas de segurança preconizadas.

Procurada pela Tribuna, a rede varejista Bretas se pronunciou, por meio de sua assessoria, sobre os comentários que circulam em perfis das redes sociais. A empresa esclareceu que segue todas as orientações das autoridades competentes para cuidado e segurança com todos que transitam em suas lojas, como colaboradores, clientes e prestadores de serviço. “A loja recebeu, no dia 29 de junho, a visita da Vigilância Sanitária, motivada por uma denúncia de não cumprimento das orientações. Porém, nenhuma irregularidade foi encontrada, o que comprova que todas as medidas estão em pleno funcionamento na unidade e atendem a todos os decretos e orientações das autoridades competentes para julgar o tema.”

O conteúdo continua após o anúncio

Ainda conforme o Bretas, o colaborador que teve seu exame divulgado nas redes sociais está devidamente afastado desde o dia 22 de junho, quando apresentou atestado. “Somente ontem, no dia 29 de junho, foi apresentado à empresa o seu exame positivo para Covid-19. Há nove dias o colaborador está sem nenhum contato com colegas de trabalho e clientes, sem acesso à loja”, destacou. “Diante desse diagnóstico, agendamos outra sanitização profissional para hoje, dia 30 de junho, como ação preventiva”.

Lembrando que “vivemos uma crise sanitária sem precedentes e de ordem mundial, cujo risco à saúde humana se faz presente de forma comunitária e invisível”, a rede varejista de supermercados observou que “não é prudente nem possível afirmar onde e como as pessoas podem ser infectadas”: “Cabe a cada um de nós, de forma individual e coletiva, seguir à risca todas as orientações para nos protegermos e também ao próximo, incluindo especialmente aqueles que se enquadram em grupos de risco, e que, portanto, são mais suscetíveis ao vírus, ou àqueles que precisam continuar trabalhando para atender as necessidades básicas da sociedade, assim como no nosso segmento de supermercados.”

Por fim, o Bretas enfatizou estar “com as lojas abertas, fiscalizadas e autorizadas a funcionar com segurança pelas autoridades competentes”: “Seguiremos firme no nosso propósito de melhor atender a todos que nos escolhem como sua opção de compra.”

Órgão vai publicar nota técnica com orientações

A Secretaria de Saúde informou, também por meio de nota encaminhada à Tribuna, que “ainda nesta semana, o Dvisa deve publicar uma nota técnica, que estabelece as principais medidas preventivas para enfrentamento à Covid-19 a serem implantadas nos diversos estabelecimentos comerciais. Além disso, o documento servirá como orientação para manejo adequado dos trabalhadores que apresentarem quadro clínico suspeito para a doença.”

Conforme a assessoria da pasta, a Vigilância Sanitária ressalta que a necessidade de testagem ou não de colaboradores, bem como o afastamento do trabalho, devem ser definidas pelo profissional de saúde que atender o funcionário. Da mesma forma, o retorno às atividades deverá ocorrer mediante liberação médica. “A respeito da higienização dos locais, já é recomendado, desde o início desta pandemia, a necessidade de intensificar a limpeza e desinfecção dos ambientes e mobiliários, bem como pontos estratégicos, como corrimãos, elevadores, maçanetas, telefones, dentre outros, com solução alcoólica a 70%. O fechamento e desinfecção total do estabelecimento, por empresa especializada, ficam a critério do comerciante, como uma medida complementar de intensificação à higiene e limpeza frente à confirmação de um caso positivo no estabelecimento”, completou a secretaria.

Tópicos: coronavírus

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia