Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Crimes violentos têm queda de 46% em JF nos últimos dez anos

Entre 2020 e 2021, redução foi de 20,41% no número de casos de homicídios, roubos, estupros e crimes com uso de arma de fogo


Por Marcos Araújo

13/01/2022 às 17h42

Balanço apresentado pela 4ª Região de Polícia Militar (4ª RPM) nesta quinta-feira (13) aponta que, nos últimos dez anos, Juiz de Fora teve queda de 46,26% no número de crimes violentos. Quando se compara 2020 com 2021, a redução foi de 20,41%. Ocorrências de homicídios, roubos, estupro e crimes com uso de arma de fogo, por exemplo, tiveram diminuição. Já casos relativos a apreensão de drogas e prisões, assim como a realização de operações policiais, apresentaram aumento, segundo os dados divulgados durante entrevista coletiva à imprensa realizada na sede da 4ª Região de Polícia Militar, no Bairro Nova Era, Zona Norte.

Segundo o comandante regional da PM, coronel Neir Adriano de Souza, a redução averiguada na séria histórica, de 2010 a 2021, e no comparativo entre 2020 e 2021, deve-se ao aprimoramento do planejamento e da alocação de recursos nos serviços prestados pela Polícia Militar em Juiz de Fora. “Viemos melhorando, a cada dia, a motivação da nossa tropa e sua capacitação com treinamentos. Esse trabalho diário da PM, ao longo dos anos, melhorando seu planejamento e recebendo recursos tecnológicos, refletiu na redução dos crimes”, ressaltou.

Dados foram divulgados durante coletiva de imprensa na 4ª Região de Polícia Militar (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Entre os dados apresentados durante a coletiva (ver arte), o único cujo o resultado não apresentou êxito foi o de apreensão de armas. Segundo o balanço, enquanto em 2020 foram apreendidas 320, em 2021, o montante caiu para 275. O comandante Neir Adriano de Souza explicou que nesta caso, o principal é a quantidade de crimes violentos que foram cometidos com uso de arma de fogo, os quais apresentaram uma redução de 4,65%. Foram 409 em 2020, contra 390 em 2021. “Logicamente, tendo uma quantidade menor de crimes com arma de fogo, tivemos menos armas para apreender. Então, a redução no número absoluto de armas apreendidas não reflete de maneira negativa, porque a quantidade de crimes violentos com uso de arma de fogo teve redução”, enfatizou.

Sem impacto da pandemia

O comandante da 4ª RPM, coronel Neir Adriano de Souza, destacou que, em 2020, com o começo da pandemia de Covid-19, foi realizada uma análise e, em um primeiro momento, foi verificado certo impacto das medidas de isolamento social na redução dos crimes. Mas, conforme ele, a análise ao longo dos anos de 2020 e de 2021 mostrou que a crise sanitária não gerou diminuição da criminalidade. “Entendemos que a redução dos crimes violentos é devido ao trabalho preventivo que já vínhamos fazendo ao longo do ano, principalmente desde 2015 e 2016, quando começou essa redução expressiva. Então a pandemia não teve todo esse impacto na queda”, explicou.

Como apontou o coronel, antes de 2016, não só em Minas Gerais, mas em todo o país, havia um aumento da criminalidade violenta, cenário que começou a mudar a partir daquele ano, pelo menos dentro do estado mineiro. “Tivemos um incremento na questão do efetivo e, principalmente, na questão logística, com início de frota terceirizada, mais viaturas disponíveis para dar resposta às demandas da população, melhoria do planejamento, melhoria da situação tecnológica do estado. Tudo isso influenciou e foi auxiliando a Polícia Militar a alcançar esses resultados expressivos”, disse.

‘Sensação de segurança’

Para o coronel, independentemente dos resultados que vêm sendo obtidos desde 2010, o principal é que esses menores índices se traduzam na sensação de segurança da população de Juiz de Fora. “Os dados são muitos bons e, a cada ano, alcançamos uma redução na quantidade de crimes que acontece na nossa cidade. Mas isso só tem o seu objetivo se, realmente, a população se sentir segura”, avaliou, acrescentando que, embora a estatística seja apresentada no início do ano, esse acompanhamento é utilizado, diariamente, no planejamento para o emprego da PM no município. “É muito importante quando conseguimos cumprir nossas metas, com resultado preventivo de redução da criminalidade, mas esse é um trabalho que auxilia nosso planejamento diário e alocação de recursos”, explicou.

Segundo o comandante, o principal ponto para o planejamento do trabalho da PM é a informação. “Nosso setor de inteligência, aliado ao setor de planejamento operacional, vem aprimorando, a cada dia os nossos serviços, com acompanhamento das redes sociais e das informações que chegam. Além disso, as parcerias com as outras instituições, como o Ministério Público, a Polícia Civil, a Policia Federal e a Polícia Rodoviária Federal são fundamentais”, ressaltou, acrescentado que todas as informações recebidas são tratadas e utilizadas no planejamento que é atualizado diariamente.

Além disso, conforme Neir, os sistemas utilizados também contribuem para a melhoria dos trabalhos da PM. “O mapeamento das zonas quentes de criminalidades é um dos que dispomos. Hoje, o nosso sistema de geoprocessamento e de estatística já está muito evoluído. Claro que em termos de tecnologia, a cada dia, aparece uma ferramenta nova, mas temos condição de fazer um planejamento de tal forma que a prevenção fica bem elevada, e isso precisa refletir na sensação de segurança para a população”.

O militar também destacou a importância da participação da população para o combate à criminalidade. “A interação com a comunidade e a aproximação com os habitantes sempre acontecem. A comunidade pode participar e ajudar procurando as instituições policiais e também por meio de denúncia no 181. O 190 é para o crime que está acontecendo naquele momento, mas o 181 é para denúncias que vamos utilizar no nosso planejamento”, orientou.

Balanço da criminalidade em JF

Crimes violentos
2020 – 1.019
2021 – 811
Redução de 20,41%

Crimes violentos consumados
2020 – 891
2021 – 693
Redução de 22,22%

Crimes violentos tentados
2020 – 128
2021 – 118
Redução de 7,81%

Roubos
2020 – 769
2021 – 598
Redução de 22,24%

O conteúdo continua após o anúncio

Roubos consumados
2020 – 722
2021 – 558
Redução de 22,71%

Roubos tentados
2020 – 47
2021 – 40
Redução de 14,89%

Homicídios
2020 – 124
2021 – 107
Redução de 13,71%

Homicídios consumados
2020 – 51
2021 – 39
Redução de 23,53%

Homicídios tentados
2020 – 73
2021 – 68
Redução de 6,85%

Estupro
2020 – 63
2021 – 50
Redução de 20,63%

Armas de fogo apreendidas
2020 – 320
2021 – 275
Redução de 14,1%

Crimes com arma de fogo
2020 – 409
2021 – 390
Redução de 4,65%

Ocorrências com apreensão de drogas
2020 – 2.582
2021 – 3.388
Aumento de 31,22%

Prisão/apreensão
2020 – 8.373
2021 – 9.451
Aumento de 12,87%

Operações
2020 – 40.230
2021 – 44.638
Aumento de 10,96%

Série histórica – 2010 a 2021
2010 – 1.509
2011 – 1.511
2012 – 1.627
2013 – 2.221
2014 – 2.547
2015 – 2.267
2016 – 3.048
2017 – 2.204
2018 – 1.489
2019 – 1.258
2020 – 1.010
2021 – 811
Redução de 46,26%

Fonte: Armazém de Dados REDS PMMG, 4ª RPM

Tópicos: polícia

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia