Tópicos em alta: cartas a jf / sergio moro / dengue / polícia

Cesama amplia rodízio de água

A partir de segunda-feira, o rodízio no abastecimento de água em Juiz de Fora será intensificado. O corte no fornecimento passa a ocorrer, semanalmente, entre segunda-feira e sábado, com acréscimo de duas horas, das 8h às 20h. O objetivo, conforme a própria companhia, é poupar as represas João Penido e São Pedro durante a estiagem […]

Por EDUARDO VALENTE

11/07/2015 às 07h00

A partir de segunda-feira, o rodízio no abastecimento de água em Juiz de Fora será intensificado. O corte no fornecimento passa a ocorrer, semanalmente, entre segunda-feira e sábado, com acréscimo de duas horas, das 8h às 20h. O objetivo, conforme a própria companhia, é poupar as represas João Penido e São Pedro durante a estiagem que, historicamente, vai até setembro. Conforme a Cesama, o primeiro manancial está com 31,5% de sua capacidade preenchida, enquanto que o outro, 38,2%. Há dez dias, os índices eram, respectivamente, 34% e 44%. Chapéu D’Uvas, 11 vezes maior que João Penido, perde água mais devagar, e declinou de 57% para 55,6%. No novo modelo de rodízio, os bairros da Cidade Alta foram divididos em dois grupos, e o racionamento ocorrerá em dias alternados. O sábado, que é novidade, contemplará tanto os bairros da Cidade Alta como os da região Nordeste. Além disso, algumas regiões tiveram os dias de corte do fornecimento modificados (ver quadro).

De acordo com o diretor técnico operacional da Cesama, Márcio Augusto Pessoa Azevedo, desde o início do rodízio, em outubro, a economia média de água girou em torno de 6%. Com a nova medida, a expectativa é de ampliar a redução de consumo para índices entre 8,5% e 9%. “A população precisa compreender as dificuldades que teremos pela frente, até a chegada do novo período de chuvas. Temos trabalhado para diminuir a diferença de perda em comparação ao ano passado. Mas em 2015, iniciamos a estiagem com índices muito baixos, por isso precisamos da economia de todos”, informou. Até outubro, ainda segundo Márcio, ações mais severas podem ser colocadas em prática caso a perda de volume dos mananciais continue elevada. Ao contrário, o rodízio pode ser minimizado.

O conteúdo continua após o anúncio

Dez meses

O rodízio do abastecimento de água em Juiz de Fora começou em outubro do ano passado. Na época, a Represa de São Pedro estava completamente seca e, João Penido, havia chegado a 22%. Chapéu D’Uvas, que ainda não era usada para abastecimento de água, tinha 38% do volume preenchido. Desde aquele mês, o maior índice alcançado pelas represas foram 43% em João Penido, em março; 98% em São Pedro, em abril; e 57% em Chapéu D’Uvas, em junho.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia