Tópicos em alta: polícia / chuva

33 cursos da região alcançam nota máxima em avaliação do MEC

Enade avaliou área de ciências exatas e afins, além de algumas licenciaturas

Por Pedro Capetti, estagiário sob supervisão de Wendell Guiducci

10/10/2018 às 16h54- Atualizada 11/10/2018 às 08h37

Trinta e três cursos de instituições de ensino superior privadas e particulares de Juiz de Fora, da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) e Universidade Federal de Viçosa (UFV) receberam nota máxima no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Os resultados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) nesta terça-feira (9).

A avaliação é baseada em levantamento feito anualmente com universitários de todo o país. A cada três anos, uma área de conhecimento distinta é avaliada. Em 2017, os cursos da área de ciências exatas, licenciaturas e “áreas afins” foram avaliados, como análise e desenvolvimento de sistemas, gestão da produção industrial, gestão da tecnologia da informação, e redes de computadores.

O objetivo é avaliar o desempenho dos estudantes em relação a conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso, além da qualidade das graduações oferecidas pelas instituições.

O levantamento leva em consideração uma prova geral, com dez questões, aplicada para alunos de cursos das áreas que estão sob avaliação. Há ainda uma prova de habilidades específicas, que varia de acordo com o curso.  No recorte feito pela Tribuna, 122 cursos foram examinados. A escala de conceitos da prova varia de 1 a 5, sendo que os conceitos 1 e 2 são considerados insatisfatórios para o MEC.

Dos 33 cursos com nota máxima (conceito 5) no Enade, mais da metade (18), são cursos oferecidos em Juiz de Fora, sendo 17 da UFJF e um do Instituto Vianna Júnior. O restante dos cursos com nota máxima são cursos ofertados pela UFV (12) e pela UFSJ (3). De cada três cursos avaliados, as instituições públicas de ensino da região conseguiram atingir a nota máxima em um curso. O Instituto Vianna Júnior, por sua vez, só teve o curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas avaliado nesta edição.

Outros 44 cursos foram avaliados com conceito 4 na avaliação, e nove graduações foram examinadas com conceito 3. A lista inclui, além de cursos da UFJF, UFV e UFSJ, graduações do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF), Estácio Juiz de Fora, Faculdade do Sudeste Mineiro (Facsum), Faculdade Doctum, Faculdade Metodista Granbery, IF Sudeste e Universidade Salgado de Oliveira (Universo).

O conteúdo continua após o anúncio

Em novembro, o Ministério da Educação divulgará outros dois indicadores: o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC). Esses dois, também derivados dos resultados do Enade e de outros insumos, ditam a regulação dos cursos e nas instituições de ensino exercida pelo MEC.

Resultado negativo

Nove cursos da região tiraram nota insatisfatória (conceito 2) na última edição do Enade.  Quando o resultado é insatisfatório (notas 1 e 2), penalidades podem ser aplicadas. Em casos graves, pode haver, inclusive, proibição de novos vestibulares ou o fechamento do curso. Em todo o país, 33,1% dos 10.570 cursos avaliados estão nessa categoria.

Em Juiz de Fora, os cursos de Pedagogia (Licenciatura/Ensino a Distância – UFJF), Filosofia (Bacharelado – CES/JF), Educação Física (Licenciatura – Universo), Sistemas de Informação (CES/JF), Engenharia Elétrica (UFJF), Engenharia de Produção (Doctum) e Engenharia Ambiental (Doctum) tiveram resultado insatisfatório para o Ministério da Educação. Na região, o curso de bacharelado de História, na UFSJ, e de Engenharia, da UFV, também dividem essa condição.

Por meio de nota, a UFJF afirmou que está analisando os resultados, mas só poderá fazê-lo de forma mais precisa quando obtiver os relatórios do Enade por curso, que trazem informações detalhadas sobre os desempenhos dos estudantes que participaram do exame.

O CES/JF informou que, com relação ao curso de Filosofia, apenas dois alunos fizeram a prova. ‘Se um aluno foi bem e outro não, isso leva a nota para baixo”, exemplifica. Sobre o curso de Sistema de Informação, a instituição afirmou que houve alto índice de abstenção, pois muitos alunos fizeram a prova depois de terem concluído as disciplinas eletivas há muito tempo, restando apenas o trabalho de conclusão de curso. 

Já a Doctum, por meio de nota, informou que o “resultado do Enade é um dos componentes do CPC (Conceito Preliminar de Curso), que está atrelado ao aluno apenas.” Ainda segundo o posicionamento da instituição, “os cursos são constantemente avaliados pela equipe interna, buscando melhorias contínuas e passam sistematicamente por processos de atualização curricular, para atender aos novos desafios da formação e atuação em um mercado de trabalho em transformação.”

Tópicos: educação

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia