Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / lockdown / vacina / polícia / obituário

Motoristas e cobradores vão às ruas pedir vacinas

Mobilização acontece após o aumento das contaminações por Covid-19 e a morte de trabalhadores


Por Gabriel Ferreira Borges e Gracielle Nocelli - Repórteres

07/04/2021 às 15h09- Atualizada 07/04/2021 às 20h27

Os rodoviários foram às ruas, nesta quarta-feira (7), em passeata da Praça Alfredo Ferreira Lage, Bairro Manoel Honório, à Câmara Municipal de Juiz de Fora, Centro, para reivindicar a inclusão da categoria entre os grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19. Os trabalhadores do transporte coletivo urbano reforçaram a urgência da imunização para motoristas e cobradores, uma vez que a classe trabalha desde o início da pandemia. A manifestação foi deflagrada em meio ao aumento das contaminações entre os rodoviários, que, apenas na última semana, conforme o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário (Sinttro), perderam cinco vidas.

Trabalhadores se reuniram no Manoel Honório no início da tarde desta quarta (Foto: Fernando Priamo)

Cerca de 30 rodoviários tomaram os corredores centrais da Avenida Barão do Rio Branco por aproximadamente uma hora, sob cortejo de agentes de fiscalização da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra). “Queremos entrar na lista de grupos prioritários. Não sei se seríamos vacinados agora, nem quando, mas queremos que o Poder Público se mexa. Já perdemos onze trabalhadores, além termos tantos outros internados, intubados e em recuperação dentro de casa. Queremos uma ação da Prefeitura, do Estado ou do Governo federal”, afirmou à Tribuna o presidente do Sinttro, Vagner Evangelista. Motoristas e cobradores empunhavam cartazes que, além de frases de ordem, registravam o luto da categoria diante da morte de, até o momento, onze trabalhadores do transporte coletivo, a maioria de “uns dois meses pra cá”, pontua Vagner.

Motoristas e cobradores ocupam pista central da Avenida Barão do Rio Branco (Foto: Fernando Priamo)

 

Cerca de 30 trabalhadores tomaram os corredores centrais da Avenida Rio Branco por cerca de uma hora; além de faixas de protesto, categoria estampou fotos de colegas falecidos pela doença (Foto: Fernando Priamo)

Apelo

Marcelo Reis, um dos rodoviários presentes na passeata, fez um apelo para que a população, caso não tenha necessidade de ir para a rua, fique em casa. “Já perdemos onze companheiros. Não queremos perder mais ninguém. Nos ajude, população. Se não tem necessidade de ir para a rua, não vá. Não ande de ônibus. Se tiver necessidade, conte com a gente, mas nós contamos com o apoio da população também. (…) Precisamos ser vacinados para dar continuidade ao nosso trabalho. A nossa luta não é contra o sistema, mas pela vida. Queremos prestar o serviço de qualidade, mas imunizados”, frisou.

O conteúdo continua após o anúncio
Profissional relembra a perda de colegas pelo vírus (Foto: Fernando Priamo)

Um dos cartazes levados pelos rodoviários à manifestação estampava a imagem dos trabalhadores mortos. Os óbitos mais recentes, conforme o Sinttro, foram dos motoristas Daniel de Andrade Ribeiro, 45 anos, e Paulo Pereira, e dos cobradores Jorge da Silveira, 65, Geraldo Neves de Araújo, 53, e Dalmo Loures da Silva, 48. No entanto, antes, já haviam falecido os condutores Luiz Heleno Pereira, 60, (28 de março), Douglas de Araújo Mendes, 37, (14 de março) e Sebastião Paulino da Silva (7 de março), além do cobrador Marco Antônio Silva Moura (14 de novembro). Algumas idades não foram divulgadas. A mobilização se dispersou após aproximadamente 30 minutos concentrada em frente à Câmara Municipal, onde o presidente da Casa, vereador Juraci Scheffer (PT), e a vereadora Laiz Perrut (PT) receberam os presentes.

Reunião com Executivo

Em nota, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) considerou a manifestação democrática e ressaltou que a definição dos grupos prioritários para a imunização é uma atribuição do Governo federal, por meio do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19. Além disso, acrescenta o Executivo, “os imunizantes distribuídos pelo Governo estadual chegam aos municípios com as indicações de quantitativo, tipo de vacina e público a ser imunizado”. Antes da manifestação, às 11h, o presidente do Sinttro e o vice-presidente, Claudinei Janeiro, além de outros membros da diretoria da entidade, reuniram-se com a prefeita Margarida Salomão (PT) justamente para pleitear a vacinação da categoria.

Vagner ponderou que, por exemplo, no Distrito Federal, além dos profissionais da segurança pública, os rodoviários foram incluídos em um percentual das vacinas contra a Covid-19. “Por que não é uniforme no Brasil inteiro? Se o Governo de lá liberou, por que os demais não liberam?”, questionou.

Conforme o sindicalista, o Sinttro aguardará um posicionamento da PJF até quinta-feira (15) a respeito da inclusão ou não da categoria entre os grupos prioritários em Juiz de Fora. Por ora, está descartada qualquer paralisação geral do transporte coletivo urbano. “Estamos tentando não paralisar por conta da população, já que é um trabalho essencial. Se não tivermos uma alternativa, pode ser que chegue o momento, mas seria muito radical. Não queremos radicalização. Queremos o justo. Estamos perdendo vidas.”

Grupos prioritários

Segundo o Plano Municipal de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, os rodoviários já estão entre os grupos prioritários de imunização. No entanto, a categoria pleiteia um posicionamento dentro do ordenamento do Plano Municipal superior àquele em que se encontra atualmente – 24º lugar. Outros grupos prioritários, como funcionários do sistema de privação de liberdade, trabalhadores da educação do ensino básico, da educação do ensino superior, forças de segurança e salvamento, além de forças armadas, estão à frente.

Tópicos: coronavírus

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia