Tópicos em alta: polícia / carnaval 2019 / barragem / campeonato mineiro

Polícia Militar aponta redução de 40% nos homicídios na região

Anúncio foi feito durante solenidade de troca de comando da 4ª Região, responsável pelo policiamento de 86 municípios

Por Michele Meireles

07/02/2019 às 14h18- Atualizada 07/02/2019 às 16h50

Luciano Washington Vivas assumiu o comando da 4ª Região da PM (Foto: Olavo Prazeres)

A 4ª Região da Polícia Militar, sediada em Juiz de Fora e responsável pelo policiamento da cidade e de outros 85 municípios, tem novo comandante. A solenidade ocorreu na manhã desta quinta-feira (7), no 2º Batalhão da PM, no Bairro Santa Terezinha, região Nordeste da cidade. Assume o cargo o coronel Luciano Washington Vivas, que garante basear seu comando na “polícia de proximidade” e na redução cada vez mais brusca dos índices de criminalidade. Luciano assume o lugar do coronel Alexandre Nocelli, que esteve à frente da 4ª Região por dois anos e segue agora para a reserva da corporação. Nocelli deixa o cargo, segundo ele, com “sensação de dever cumprido”. Ao longo de 2018, a PM conseguiu uma redução de 24% nos crimes violentos em toda a região em relação a 2017, com destaque para os homicídios, que caíram 40%. É a segunda região com maior queda na modalidade em todo o estado.

Alexandre Nocelli destacou os trabalhos feitos para a redução da criminalidade. Os homicídios, segundo ele, quase caíram pela metade em toda a região. O patamar de Juiz de Fora não foi muito diferente. A cidade contabilizou 90 mortes violentas em 2018, enquanto 140 pessoas perderam a vida em decorrência de ações criminosas em 2017. Uma queda de cerca de 35%, que levou ao menor número contabilizado pela corporação nos últimos sete anos. Já em relação aos crimes violentos, que englobam os homicídios, estupros, roubos, extorsões e cárceres privados, os números caíram de 4.373 ocorrências, em 2017, para 3.389 casos, no ano passado, o que representa uma redução de 22,50%. “Foram dois anos de muito trabalho, doei minha alma para a Polícia Militar e para a comunidade. Essa redução foi importante, no caso dos homicídios, drástica. A comunidade de Juiz de Fora e região é muito fácil de trabalhar, fica aqui meu reconhecimento. Foi um orgulho e prazer comandar. O coronel Luciano, pelo seu perfil, um homem de rua, que está no front com a tropa, combatendo a violência de perto e, principalmente, na prevenção social, irá dar continuidade a este trabalho”, finalizou.

LEIA MAIS:

O conteúdo continua após o anúncio

Homicídios caem 35% em Juiz de Fora e chegam ao menor número em 7 anos

O novo comandante, que tem 50 anos e é natural de Lavras, confirmou que manter os índices em queda é uma de suas prioridades. Além disso, o oficial destacou que buscar o aumento da presença policial nas ruas é o objetivo principal. “O desafio é muito grande, estamos tratando com o que há de mais importante, que é a vida, a segurança das pessoas e também do patrimônio. Então, temos que ter a perspectiva de melhoria de índices, de operações e aumento das ações policiais, sempre tentar com isso que a comunidade seja possuidora de uma maior sensação de segurança. Todas as modalidades criminais preocupam, independente do número. As estatísticas estão aí para nos direcionar, dar um foco para ações e operações, garanto que nenhum crime será aceitável. Principalmente e constantemente, vamos buscar mais visibilidade, aumento da presença policial e ostensividade da PM nas ruas”, afirmou.

Coronel Alexandre Nocelli (à esquerda) passa o comando para o coronel Luciano Vivas (Foto: Divulgação/PM)

‘Não vamos nos furtar da missão de proteger’

A solenidade de passagem de comando contou com a presença de diversas autoridades civis e militares, entre elas o comandante geral da Polícia Militar, coronel Giovanne Gomes da Silva, que tomou posse do cargo no último mês. O comandante destacou em seu discurso as dificuldades financeiras enfrentadas pelo Estado, o que impacta diretamente a corporação. Os militares trabalham com os salários parcelados e também sem 13º salário. “Mesmo diante das adversidade que assolam nosso estado e nosso país, principalmente a grave crise financeira que passa Minas Gerais, e que nos traz angústias, posso dizer que somos militares e não vamos nos furtar da missão de proteger a comunidade, tenham a certeza disso. Não vamos perder nossa legitimidade junto a esta sociedade, essa promessa que fiz, de não arredarmos o pé de nossa missão, fiz em nome de toda a tropa. Todos os policiais estarão firmes no propósito de servir ao povo mineiro e garantir um ambiente salutar e seguro para nossa convivência social. É agora que vamos provar que somos militares, uma tropa disciplinada, e é nossa sociedade que irá dizer aos governantes do nosso valor e nossa importância”, disse.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia