Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Bolsonaro critica imprensa e fechamento do comércio

Presidente acredita não haver necessidade de fechar escolas e divulgar casos da Itália


Por Agência Estado

24/03/2020 às 21h57- Atualizada 24/03/2020 às 22h34

Em pronunciamento à nação às 20h30 nesta terça-feira (24), em rede nacional de TV e rádio, o presidente Jair Bolsonaro disse que, desde o início da pandemia do novo coronavírus, era preciso “conter o pânico e a histeria e traçar estratégias para salvar vidas”. Ele elogiou as ações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no planejamento estratégico de esclarecimento e atendimento no SUS. Bolsonaro criticou a imprensa, colocando-a como responsável por “espalhar a sensação de pavor” ao divulgar o grande número de vítimas na Itália, país que, segundo ele, tem grande número de idosos e clima diferente do Brasil. Em seguida, parabenizou a mídia por, “de ontem para hoje”, pedir calma à população.

O presidente criticou também algumas autoridades que “devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transporte, o fechamento dos comércios e o confinamento em massa”. Segundo ele, não há motivo para fechar escolas, uma vez que o grupo de risco é composto por, também, pessoas com mais de 60 anos. “São raros os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos”, disse. Embora critique as medidas, Bolsonaro afirmou que deve haver “extrema preocupação” em não transmitir o vírus para outras pessoas. Ele disse que, no próprio caso, se fosse infectado, não precisaria se preocupar, devido ao seu “histórico de atleta”.

O conteúdo continua após o anúncio

Bolsonaro disse que o FDA (agência reguladora dos EUA) e o Hospital Albert Einstein estão buscando comprovação da cloroquina para uso das pessoas com covid-19. Por fim, prestou homenagem aos profissionais da saúde.

Tópicos: coronavírus

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia