Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Mais 1,7 milhão de doses da AstraZeneca são entregues pela Fiocruz

Essa é a primeira entrega feita pela instituição neste mês de setembro


Por Mariana Hallal e Marcio Dolzan (Agência Estado)

14/09/2021 às 18h46

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entrega um novo lote com 1,7 milhão de doses da vacina da AstraZeneca nesta terça-feira (14). Essa é a primeira entrega feita pela instituição neste mês. Ao todo, 15 milhões de doses devem ser entregues ao Ministério da Saúde em setembro.

De acordo com a Fiocruz, uma primeira remessa com 50 mil doses foi entregue diretamente ao Rio de Janeiro. O restante foi destinado a um almoxarifado do Ministério da Saúde e será enviado aos demais estados. A pasta ainda não informou quando as vacinas devem ser distribuídas.

O conteúdo continua após o anúncio

A entrega de imunizantes havia sido interrompida pela Fiocruz por falta de insumos para produção. Agora, a fundação afirma que as entregas semanais até o fim de setembro estão garantidas. A Fiocruz já enviou 93,6 milhões de doses de AstraZeneca ao Ministério da Saúde.

Estoques baixos

A interrupção da entrega das vacinas gerou desabastecimento de AstraZeneca em alguns estados. Parte das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão e Pernambuco estavam sem o imunizante para aplicar a segunda dose. Para não prejudicar a campanha de vacinação, os estados autorizaram a vacinação heteróloga e estão aplicando uma segunda dose da Pfizer em quem tinha recebido a primeira de AstraZeneca.

Só em São Paulo, pelo menos um milhão de pessoas foram prejudicadas pela falta de AstraZeneca até a última sexta-feira. A informação é da coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula. O Ministério da Saúde diz que não deve vacinas a São Paulo e que não garantirá doses aos estados que não respeitarem o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia