Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Oito montadoras paralisam produção no Brasil por causa da pandemia

Honda, Nissan e Toyota foram as três últimas a anunciarem a suspensão das atividades no país


Por Agência Brasil

31/03/2021 às 22h30

Honda, Nissan e Toyota congelaram produção em fábricas, assim como Volkswagen, Mercedes-Benz, Renault, Volvo e Scania (Foto: Volkswagen/Divulgação)

As montadoras Honda, Nissan e Toyota anunciaram nos últimos dias que suspenderão as atividades no Brasil por causa do recrudescimento na pandemia de Covid-19. Com estas três fabricantes, já são oito as empresas a paralisarem a produção no país nos últimos dias – a lista recente já era composta por Volkswagen, Mercedes-Benz, Renault, Volvo e Scania.

A última a confirmar a interrupção foi a Honda, na sexta-feira (26). Segundo a montadora, o congelamento nos trabalhos irá ocorrer nas unidades de Itirapina (SP) e de Sumaré (SP) até 9 de abril. A produção será retomada no próximo dia 12.

“A Honda reforça que as medidas adotadas visam preservar a saúde e segurança das pessoas. Além disso, a empresa segue empenhada em minimizar os impactos da pandemia em sua cadeia de valor, bem como, os inconvenientes ao consumidor”, informou a montadora em comunicado.

A compensação das horas não trabalhadas será negociada com o Sindicato dos Metalúrgicos.

O conteúdo continua após o anúncio

Nissan e Toyota

As montadoras Nissan e Toyota anunciaram na última quinta-feira (25) a suspensão de suas atividades no Brasil também por causa do agravamento da transmissão de Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, o país tem mais de 300 mil vítimas da doença confirmadas.
Em nota, a Nissan informou que decidiu adotar férias coletivas no Complexo Industrial de Resende, no Rio de Janeiro, no período de 26 de março a 9 de abril, retomando a produção no dia 12. Segundo a empresa, a medida tem como objetivo “garantir a segurança de seus funcionários como parte do esforço de reduzir o impacto da pandemia, adaptar a empresa ao cenário atual dos desafios enfrentados pelo setor automotivo e garantir a continuidade do negócio”.

Já a Toyota informou que, a partir de segunda-feira (29), as quatro fábricas localizadas em São Bernardo do Campo, Indaiatuba, Sorocaba e Porto Feliz, todas em São Paulo, iriam parar por até dez dias corridos. “A medida tem como objetivo contribuir com a redução da circulação de pessoas no momento mais crítico da pandemia no país, além de atender a antecipação de feriados por parte de autoridades em algumas dessas regiões”, informou em nota.

As atividades, portanto, serão retomadas nesta terça-feira, 6 de abril, em Indaiatuba e na segunda-feira (5) nas demais. A Toyota tem 5,6 mil trabalhadores no Brasil.

Como a Tribuna divulgou, o Brasil registrou 3.668 novas mortes pela Covid-19 nesta terça-feira (30). A média semanal de vítimas, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, bateu recorde pelo quinto dia consecutivo e ficou em 2.728. Os dois números são recordes e os mais altos registrados no país durante a pandemia de coronavírus.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia