Tópicos em alta: polícia / chuva

Socialistas de Minas e de Pernambuco medem forças

Por Paulo Cesar Magella

17/05/2018 às 06h30 - Atualizada 17/05/2018 às 07h34

A pressão nacional para retirar do páreo a candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda, para favorecer uma aliança do Partido dos Trabalhadores e o PSB em Recife e garantir a reeleição do governador Paulo Câmara, obedece a lógica da troca, mas não fecha na lógica da importância. O PT apoiaria o PSB em Pernambuco e teria o apoio dos socialistas em Minas para reeleger Fernando Pimentel. Mas o que seria mais importante: governar Pernambuco ou Minas Gerais? Márcio Lacerda está no páreo, embora as pesquisas recentes apontem empate técnico entre Pimentel e o tucano Antônio Anastasia. Mas ambos aproveitam a estrutura partidária para sair na frente. Lacerda seria uma terceira via.

Palanque em MG

É por conta disso que os socialistas mineiros reagem à ideia, embora essa proposta não seja nova. Desde o início do ano, já se falava na permuta entre PT e PSB, mas, naquela época, o PT ainda tinha Lula na cabeça de chapa e o PSB não tinha nome algum. Embora Joaquim Barbosa tenha desistido, alguns setores apostam as fichas em Ciro Gomes, que tem muito interesse em ter um aliado forte em Minas. Como se vê, o jogo está apenas começando a ser jogado.

O conteúdo continua após o anúncio

Fator Delgado

As conversas, porém, estão em curso e devem continuar esta semana. Em nota, publicada também pelo Painel, os socialistas mineiros garantem que não irão abrir mão da candidatura própria, mas terão que ficar atentos. O deputado Júlio Delgado, um desafeto declarado de Márcio Lacerda, é líder da bancada na Câmara Federal e tem fortes laços com o PSB de Recife por conta de sua proximidade com o ex-governador Eduardo Campos. O parlamentar juiz-forano pode ser uma peça nesse xadrez, ora jogado nos bastidores.

Nova estratégia

A possível vinda do governador Fernando Pimentel a Juiz de Fora, para inaugurar o acesso que liga a BR-040 à MG-353, na altura da Barreira do Triunfo, faz parte da nova estratégia do governador de se reaproximar dos prefeitos. Nos últimos meses, por causa da retenção de repasses do IPVA e do ICMS, a relação com os dirigentes municipais ficou bastante comprometida. Na segunda-feira, ele esteve no Triângulo Mineiro entregando uma rodovia e o projeto de Juiz de Fora parte do mesmo princípio. Só que o governador, agora, deve também trazer o cheque para recuperação dos Grupos Centrais

 

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia