BBB 24: Camarote comprovadamente flopou

'Não dá para dizer que Yasmin prometeu tudo e entregou nada, mas sua participação ficou bem abaixo das expectativas.'

Por Bernardo Marchiori

BBB 24: Camarote comprovadamente flopou
(Foto: Reprodução/TV Globo)

Desde o Big Brother Brasil 20, as edições contam com presenças ‘VIP’: o Camarote, nomenclatura adotada pela produção. Em oposição ao Pipoca, o grupo é formado por pessoas famosas – pelo menos em suas respectivas bolhas. Em sua quinta edição, o Camarote já teve participações icônicas: Manu Gavassi, Babu Santana, Camilla de Lucas, Arthur Aguiar, Jade Picon, entre outros. Na temporada 23, a edição em si ficou abaixo do esperado, então o pouco lembrado papel dos famosos acabou ‘passando batido’. Mas o BBB 24 pode, finalmente, ter comprovado que a ideia flopou.

No momento, 12 pessoas continuam na casa em busca do prêmio final. Desses, apenas um faz parte do Camarote – MC Bin Laden. Vanessa Lopes apertou o botão da desistência, Wanessa Camargo foi desclassificada após agredir Davi e Vinicius Rodrigues, Rodriguinho e Yasmin Brunet foram eliminados. Yasmin, inclusive, foi a última a sair do programa, na terça-feira (12). O número de participantes do grupo já era menor em comparação às edições passadas (que contavam com dez famosos). Nesta, apenas seis entraram no páreo.

A baixa representatividade atual, com o programa chegando no top-10, já expressa por si só como o Camarote flopou progressivamente. Apesar disso, o maior indicativo de que realmente talvez seja melhor Boninho e o restante da produção esquecerem a ideia é a participação de Yasmin Brunet. O próprio Tadeu Schmidt, no discurso de eliminação da modelo, agregou no posicionamento. “Nome certo de todas as listas desde que o BBB passou a ter Camarote. No 24, a sereia finalmente veio para o jogo”, destacou o apresentador.

E ele não errou. Aproveitando que em 2024 serão realizados os Jogos Olímpicos de Paris, vale lembrar do show de entretenimento que Yasmin (à época, esposa de Gabriel Medina) proporcionou ao povo brasileiro nas Olimpíadas de 2021, em Tóquio, Japão. Na ocasião, o surfista queria levá-la para a competição, mas a modelo foi barrada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), já que os atletas só podiam levar profissionais das respectivas áreas. Os dois brigaram com a entidade.

Com isso, desde então, a audiência do BBB que clama pelo entretenimento (ainda mais quando se trata de pessoas famosas) desejava que a filha da atriz Luiza Brunet fizesse parte da lista de Camarotes. Depois de sucessivas frustrações, finalmente veio aí na edição 24. Para melhorar, a tiktoker Vanessa Lopes também foi anunciada. Já houve atrito entre as duas, em situação envolvendo Gabriel Medina. Consequentemente, a expectativa de quem acompanha o programa e estava ciente da situação era de que ambas gerassem entretenimento baseado no contexto negativo.

Entretanto, o que aconteceu foi o contrário: apesar da curta relação (já que Vanessa desistiu em 11 dias), as duas estavam se dando bem. Até aí, normal. A expectativa em Yasmin não era baseada apenas nisso. Mesmo assim, sua participação não rendeu o esperado. Depois de passar boa parte sem se comprometer no jogo e sem papel muito relevante nos principais enredos da casa, principalmente pela proximidade a Wanessa, ela finalmente acordou ao se posicionar contra Alane e Davi. Inclusive, a ex-sister ameaçou colocar a casa no Tá Com Nada – o que não cumpriu, sob a justificativa de que não foi autorizada pela produção.

Camarote deve continuar?

Resumindo: não dá para dizer que Yasmin prometeu tudo e entregou nada, mas sua participação ficou bem abaixo das expectativas. Esse pode ter sido um fator que reforça que a produção precisará pensar novamente se o Camarote deve continuar. Desde seu início, já existe o seguinte questionamento acerca do BBB: será que os participantes realmente são assim na ‘vida real’? Ou estão se fantasiando de personagens criados para se favorecer no jogo?

A dúvida é válida até mesmo para quem entra como Pipoca – pessoas supostamente desconhecidas. Com pessoas públicas, que entram no Camarote, a pergunta faz ainda mais sentido. Muitas questões podem ser apontadas no contexto: por serem pessoas públicas, podem criar personagens (ou apenas não agirem como normalmente agiriam) para não afetar sua popularidade; entram no programa para tentarem retornar aos holofotes do cenário nacional; e, claro, participam para buscar o prêmio financeiro.

Enfim, muitos tópicos estão envolvidos na participação do Camarote. Existem diferentes motivos e justificativas para entrar no programa e assumir (ou não) um personagem. Não há uma regra geral para o grupo. Ao mesmo tempo, parece que a produção deve refletir se darão seguimento à ideia. A sensação da audiência é que a cada edição que passa, novas questões surgem. Apesar de em algum momento as pessoas públicas acordarem para o jogo e assumirem papéis próximos ao de protagonista (Arthur Aguiar, por exemplo, venceu o BBB 22), esses casos têm sido cada vez mais raros. Dá para dizer que, enfim, o Camarote flopou.

Bernardo Marchiori

Bernardo Marchiori

Bernardo Marchiori é estagiário na Tribuna desde fevereiro de 2023 e cursa Jornalismo na Universidade Federal de Juiz de Fora. Escreve matérias para o caderno de editorias gerais, com notícias factuais e reportagens especiais. Já atuou na assessoria da Prefeitura de Juiz de Fora e é bolsista na rádio da Faculdade de Comunicação da UFJF. E-mail: [email protected] LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/bernardo-marchiori-da-costa-8719a51b0

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também