Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Violência contra as mulheres: problema de todos nós!


Por Juraci Scheffer, presidente da Câmara Municipal

12/10/2021 às 07h00

No próximo dia 13 de outubro, a partir das 17h, a Câmara Municipal de Juiz de Fora realizará um debate sobre um tema que constitui prioridade em nossa agenda institucional e certamente interessa a toda a sociedade: a violência contra as mulheres.

Alegra-nos constatar que essa iniciativa está em rigorosa sintonia com as diretrizes do Plano Estratégico da Câmara Municipal de Juiz de Fora, que, entre outros valores institucionais, estabeleceu o nosso integral compromisso com a promoção da democracia, a plena valorização da cidadania e o respeito mais amplo com a dignidade de todas as pessoas.

E para que democracia, cidadania e dignidade humana sejam realidade entre nós, é preciso enfrentar com determinação o gravíssimo fenômeno da violência contra as mulheres, cujas consequências têm infelicitado a vida de tantas vítimas em nossa cidade.

Ao promover o debate sobre esse tema, a Câmara Municipal demonstra ciência e consciência daquilo que, a nosso sentir, é o ponto mais relevante nessa temática: a violência contra as mulheres é um problema social! Isso quer significar que não se trata de um drama que afeta exclusivamente as vítimas ou as pessoas próximas delas.

Absolutamente, não!

O conteúdo continua após o anúncio

Quando uma mulher sofre violência – seja física, psicológica, patrimonial, moral ou sexual -, os efeitos dessa violência repercutem, em maior ou menor medida, na vida das demais pessoas.

E isso pela elementar razão de que esse problema tem impactos sobre o sistema de saúde pública, de segurança pública, de previdência social e – mais do que isso – impactos sobre a sustentabilidade dos nossos vínculos sociais: basta pensar nas consequências dessa violência sobre os filhos das vítimas, marcados para sempre com a memória dessa brutalidade e dos traumas por ela suscitados.

É preciso que nos escandalizemos toda vez que uma mulher sofre algum atentado à sua dignidade e à sua cidadania!

É preciso gritar, a plenos pulmões, que nós, homens e mulheres de bem e comprometidos com a ética da convivência e do respeito entre as pessoas, não toleramos, não compactuamos, não admitimos como normal ou corriqueira qualquer agressão praticada contra uma mulher!

Para esse debate, no próximo dia 13 de outubro, a Câmara Municipal contará com a participação de pessoas e órgãos mais diretamente interessados com a temática da violência contra a mulher e que, por isso, têm uma contribuição a dar para que, juntos, possamos dar respostas efetivas e o quanto possível urgentes para as muitas mulheres que, diariamente, são desconsideradas na sua humanidade e na sua dignidade, já que reduzidas à condição de coisas ou de objetos em razão da barbárie contra elas praticada pelos seus agressores!

Cumpre dizer a todas e a cada uma dessas mulheres que a Câmara Municipal de Juiz de Fora – que em seus quadros tem contado com a presença e a combatividade de vereadoras! – está disposta a enfrentar esse problema social e, por isso, deu destaque e relevância, no seu Plano Estratégico (2021-2022), à temática da violência contra a mulher em Juiz de Fora.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia