Tópicos em alta: polícia / carnaval 2019 / barragem / campeonato mineiro

Governo de Minas revê modelo de pagamento do 13º salário de 2018

Zema anuncia valor mínimo de R$ 300 para as parcelas; primeiro pagamento ocorrerá dia 21 de fevereiro

Por Tribuna

08/02/2019 às 16h17

O Governo de Minas Gerais fez uma nova projeção acerca do pagamento do 13º salário dos servidores estaduais, referente ao exercício financeiro de 2018. Inicialmente, o Estado havia anunciado que a quitação do benefício seria feita em 11 prestações, mas nesta sexta-feira (8) o governador Romeu Zema (Novo) voltou às redes sociais para dar publicidade à decisão que estabelece como valor mínimo para cada parcela a quantia de R$ 300. Com isso, a Administração afirma que “praticamente metade do funcionalismo já terá o pagamento do 13º quitado até julho”. Ainda de acordo com nota, a revisão foi possível a partir de esforço das secretarias da Fazenda e de Planejamento e Gestão para “reduzir despesas e equacionar o fluxo de caixa do Estado”. A primeira parcela será paga a todos os servidores no dia 21 de fevereiro.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo o Governo, de um total de 720.003 mil pessoas que integram a folha e têm direito ao benefício salarial, entre servidores estaduais ativos, inativos e pensionistas, 351.377 já terão todo o pagamento do 13º salário quitado em julho. Essa medida vai antecipar a conclusão do pagamento antes do previsto inicialmente. Assim, cerca de 49% terão recebido em sua integralidade até o sétimo mês do ano. Ainda de acordo com o Estado, conforme houver a quitação dos pagamentos, o valor da parcela será ampliado gradativamente, para reduzir o número de parcelamentos e ampliar a quantidade de beneficiados. “A partir de maio, a previsão é que a cota mínima a ser paga aos servidores seja elevada para R$ 400. Em julho para R$ 500; em agosto, para R$ 600; e em setembro, para R$ 800”, afirma a Administração.

“O governador deu essa ideia de criarmos uma parcela mínima do pagamento do 13º. Com os cortes que já estamos fazendo em despesas, conseguimos chegar a essa cota inicial de R$ 300”, afirmou o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa. Para o secretário de Planejamento e Gestão, Otto Levy Reis, as ações de enxugamento da máquina pública estadual já começaram a surtir efeitos positivos, que permitiram a adoção do novo modelo para o pagamento do benefício. “O valor da parcela vai continuar subindo gradativamente. Assim, somente os servidores que ganham acima de R$ 8.900 receberão o 13° em 11 parcelas. Os demais vão ter o pagamento quitado antes de 11 meses”, considerou.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia