Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

JF Vôlei vence a sexta na Superliga B, se mantém 100% e na liderança

De virada em Contagem, juiz-foranos fazem 3 a 2 no Anápolis, adversários diretos na luta pelo acesso e dão largo passo por vantagem no mata-mata

Por Bruno Kaehler

20/02/2021 às 19h41- Atualizada 20/02/2021 às 19h56

Em duelo de invictos e com cara de decisão na disputa pelo primeiro lugar da fase classificatória da Superliga B, o JF Vôlei virou pra cima do Anápolis em Contagem, no Ginásio do Riacho, com vitória no tie-break em parciais de 20/25, 25/23, 22/25, 25/18 e 15/13. O triunfo aproxima os juiz-foranos de garantirem a primeira colocação da etapa de pontos corridos do torneio, já que o time venceu todos os seus seis jogos, só restando mais um a cumprir, diante do Niterói, no próximo sábado (27), às 19h no Rio de Janeiro.

O resultado levou o time de JF aos 17 pontos, seis a mais que o segundo colocado, o próprio Anápolis, mas com um jogo a menos. O central Fernando Pilan foi eleito o melhor jogador da partida, recebendo o Troféu Viva Vôlei, dado por ele, em seguida, ao companheiro de posição, Bruno.

Se assegurar a ponta da tabela, o JF Vôlei também conquista o direito de decidir todas as partidas do mata-mata em casa – hoje Contagem, mas que pode voltar a ser Juiz de Fora, a depender da situação da pandemia na cidade e da obtenção de um local para atuar.

Sob o comando do técnico Marcos Henrique, o JF Vôlei atuou com o levantador Gustavo, o oposto Paolinetti, os centrais Bruno e Pilan, os pontas Viller e Celestino, e o líbero Dayan. Entraram Erick, Leonam, Thiago e Matheus.

O conteúdo continua após o anúncio
Atletas do JF Vôlei comemoram ponto diante do Anápolis (Foto: Reprodução/Canal Vôlei Brasil)

O jogo

O primeiro parcial foi marcado pela dificuldade inicial de recepção juiz-forana sobretudo de Celestino nos saques forçados de Ricardo, ponteiro ex-JF Vôlei. A equipe treinada por Marcos Henrique chegou a ameaçar uma reação com os serviços encaixando, mas Anápolis voltou a abrir vantagem de 5 pontos com os erros mandantes, fechando em 20/25.

O segundo set foi marcado pelo comando no placar do JF Vôlei com bolas de confiança no oposto Paolinetti, citado até mesmo em bronca do técnico adversário, Ricardo Picinin, em tempo técnico cobrando uma melhor marcação de sua equipe na saída de rede mandante. Apesar do bloqueio ter parado o jogador de JF, os donos da casa igualaram o jogo com um 25/23.

O terceiro parcial foi marcado por elevado equilíbrio, com trocas na liderança e destaques ofensivos de Paolinetti, pelo JF Vôlei, e João Vitor, do Anápolis. Na reta final, contudo, os donos da casa acabaram oscilando no side out e no saque, com erros que deram vantagem ao adversário (20/23), que acabou conseguindo manter a distância na contagem fechando em 22/25.

Frieza e constância no vira-vira

O decisivo e quarto set foi iniciado com muitos erros no saque e melhor aproveitamento nas ações do JF Vôlei, que chegou a abrir quatro pontos (13/9), forçando tempo rival. A consistência juiz-forana foi mantida mesmo após um ataque certeiro de Celestino ser apontado como bola fora (16/13), gerando reclamação do atleta, expulso de quadra. A equipe manteve a frieza e, com crescimento nos bloqueios, embalou no parcial, fechado em 25/18.

Mais inteiro psicologicamente pelo momento, o JF Vôlei saiu na frente do último set, mas viu um duelo de muito equilíbrio até o fim (13/13). Foi quando apareceu o ponteiro argentino Viller, que, repetindo atuação ofensiva em todo o confronto, usou a habilidade e experiência sem forçar o ataque da entrada de rede, superando duas vezes o bloqueio duplo goiano e fechando o duelo em 15/13.

Tópicos: jf vôlei



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia