Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Tupynambás perde para o Villa Nova e se complica

Derrota por 2 a 1 no Alçapão do Bonfim, em Nova Lima, deixa o Baeta na lanterna do quadrangular final do Módulo II


Por Júlio Black

11/09/2021 às 18h38

Jogadores do Villa Nova comemoram a vitória sobre o Tupynambás, que deixa a equipe a um ponto do líder Nacional (Foto: FUTEBOLMINEIRO.TV.BR/REPRODUÇÃO)

Na batalha entre os Leões do Poço Rico e do Bonfim, melhor para o felino de Nova Lima. O Tupynambás foi derrotado pelo Villa Nova por 2 a 1 na tarde deste sábado (11) no Estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima, em partida válida pela segunda rodada do quadrangular final do Módulo II do Campeonato Mineiro. Mateus e Willian marcaram para os donos da casa após falhas da defesa do Baeta, enquanto Cleber Pereira marcou o único gol do time de Juiz de Fora.

Com o resultado, o Tupynambás caiu para a lanterna do quadrangular final, com apenas um ponto em duas partidas. Já o Villa Nova subiu para a terceira posição, com três pontos, ao lado do Democrata de Governador Valadares (segundo pelo saldo de gols), que foi derrotado por 2 a 0, fora de casa, pelo Nacional de Muriaé, líder com quatro pontos.

O Tupynambás entrou em campo escalado por Gustavo Brancão com Renan Rinaldi, Yuri Ferraz, Davi, Rayan e Lucas Rodrigues (Caio); Thomas, Michel Elói e Alisson (Bernardo); Daniel, Tevez (Cleber Pereira) e Waschington (Nicholas). O Villa Nova, treinado por Cícero Júnior, iniciou a partida com Glaycon, Fumaça, Stockl, Andson Alagoano, Kauê (Codó), Thiago Balaio, Igor, Yan (Matheus Lima, depois Coutinho), Mateus (Patrick), Gustavo Crecci e Bruninho (Willian).

O jogo

Com a bola rolando, os minutos iniciais foram de pouca criatividade e muita marcação, com as duas equipes colocando vários jogadores brigando pela bola em poucos metros quadrados do péssimo gramado do Alçapão do Bonfim. O primeiro bom lance aconteceu aos 11 minutos, quando Daniel fez boa jogada pela direita e a bola sobrou para Alisson, que chutou de primeira, mas o tiro foi desviado pela zaga para a linha de fundo.

Com exceção a esse lance isolado, o primeiro tempo continuou com os times sem capacidade de furar o esquema defensivo adversário. Dessa forma, os lances de bola parada se mostravam mais eficientes, e foi assim que o Baeta quase abriu o placar aos 20 minutos. Após cobrança de falta, Daniel pegou o rebote na grande área e a bola acertou a trave direita de Glaycon.

Outra possibilidade era através dos erros individuais, e foi assim que o Villa Nova abriu o placar, aos 22 minutos, numa falha de Renan Rinaldi. O goleiro do Tupynambás se enrolou quando a bola foi recuada, e o atacante Mateus se aproveitou para desarmar o adversário e marcar o primeiro gol.
Sem lances de bola parada ou falhas adversárias para mudar o panorama da partida, o primeiro tempo se arrastou até o final sem qualquer jogada que pudesse animar a torcida, e o Leão do Poço Rico foi para o intervalo precisando encontrar um meio de reverter a desvantagem em campo.

O conteúdo continua após o anúncio

Baeta marca um, mas leva dois

O Tupynambás retornou para o segundo tempo com uma postura mais agressiva, porém continuava a esbarrar na falta de criatividade e na marcação dos donos da casa, e a aposta continuava nos lances de bola parada. Já o Leão do Bonfim recuou suas linhas e tentava surpreender nos contra-ataques, sem sucesso.

Como os atacantes em campo não conseguiam ameaçar a meta adversária, o técnico Gustavo Brancão arriscou duas substituições aos dez minutos, colocando Nicholas e Cleber Pereira nos lugares de Tevez e Waschington, respectivamente. E as alterações surtiram efeito poucos minutos depois: aos 15, Cleber recebeu na grande área e, mesmo sem ângulo, acertou belo chute no ângulo do gol de Glaycon, empatando a partida.

O gol de empate deu uma nova dinâmica à partida, com os dois times decididos a arriscar mais para sair de campo com os três pontos. Logo depois, aos 18 minutos, Nicholas assustou o goleiro do Villa Nova com um tiro de longa distância, que passou próximo à trave. E os anfitriões quase marcaram o segundo no minuto seguinte, quando a defesa do Baeta falhou e Mateus obrigou Renan Rinaldi a buscar a bola quase no pé da trave.

E se o Tupynambás empatou com um jogador que saiu do banco, o Villa Nova voltou a ficar na frente do marcador ao adotar a mesma estratégia – e contar com novo vacilo da defesa dos visitantes. Aos 28 minutos, a zaga do Baeta bateu cabeça e a bola sobrou para Willian, que havia substituído Bruninho poucos minutos antes. O atacante chutou e, apesar de tocar na bola, Renan Rinaldi não conseguiu impedir o segundo gol do Leão do Bonfim.

Apesar de não primarem pela criatividade e qualidade técnica, Tupynambás e Villa Nova seguiram no ataque, o Baeta buscando o empate e os anfitriões dispostos a marcar o terceiro para sacramentar a vitória. Entretanto, nenhum dos dois times chegou a criar chance efetiva de gol, e a equipe de Nova Lima pôde comemorar a primeira vitória no quadrangular final.

Em posição desfavorável na tabela, o Tupynambás terá a difícil missão de conquistar seu primeiro triunfo na próxima quarta-feira, às 20h, mais uma vez fora de casa. A equipe viaja até Governador Valadares para encarar o Democrata; já o Villa Nova também viaja para enfrentar o líder Nacional de Muriaé.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia