Seis professores de JF são selecionados no programa Startup Universitário

Docentes atuam na Universidade Federal de Juiz de Fora, na Universo, na Unipac e no CES/JF

Por Tribuna

14/02/2018 às 15h51 - Atualizada 14/02/2018 às 18h51

O Startup Universitário, programa cujo objetivo é despertar a cultura empreendedora e o desenvolvimento dos ecossistemas universitários nas instituições públicas e privadas de ensino superior, divulgou a lista de professores universitários selecionados para participar da iniciativa. Das mais de 500 inscrições recebidas, foram selecionados cem docentes em 38 cidades mineiras.

Nas instituições de Juiz de Fora, foram escolhidos seis docentes: da UFJF (Cristina Sayuri Côrtes Ouchi Dus, Fabrício Pablo Virgínio de Campos e Hilton Manoel Dias Ribeiro); da Universidade Salgado de Oliveira/Universo (Carlos Frederico Corrêa Ferreira); da Universidade Presidente Antônio Carlos/Unipac (Karen Estefan Dutra) e do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora/CES (Tiago Guimarães de Oliveira). O edital de chamamento público com os nomes dos contemplados pode ser conferido no site www.minasdigital.mg.gov.br.

Conforme a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), o objetivo é capacitar e apoiar professores universitários para criarem ações e programas que dêem aos alunos a oportunidade de desenvolverem comportamento empreendedor. “Esses professores terão a missão de incentivar o comportamento empreendedor, apoiar a transferência de tecnologias e aumentar a densidade de startups no âmbito universitário”, explica a gestora de projetos de empreendedorismo da Sedectes, Gabriella Sant’Anna.

O conteúdo continua após o anúncio

Até o final de abril, os professores selecionados receberão treinamento em educação empreendedora e projetos inovadores. Após essa capacitação, eles serão acompanhados por uma equipe especializada, para a construção de um plano de trabalho das atividades a serem desenvolvidas. “Com o plano de trabalho construído, na fase seguinte do programa, a Sedectes pode ceder bolsas para que alunos da graduação auxiliem os professores no desenvolvimento das atividades, caso necessário”, detalha a gestora.

A quarta e penúltima fase do Startup Universitário contempla o apoio à criação de empresas de base tecnológica por meio do estímulo às startups universitárias que envolvam ciência e tecnologia. Cada startup do programa poderá ser apoiada com até R$ 15 mil em materiais de consumo, equipamentos e serviços especializados para desenvolverem seus protótipos sob a orientação do professor. No total, serão apoiadas até cem startups.

Digital Lab
Todas as instituições de ensino superior (IES) com professores participantes no programa poderão pleitear a instalação de um Minas Digital LAB. O espaço, cedido pelas instituições e ambientado pela Sedectes, tem como premissa a transformação da entidade em um hub das ações de empreendedorismo e inovação da comunidade empreendedora da cidade. Esta é a última fase do programa. Serão ambientados até 34 Minas Digital LABs nas IES, sendo um por cidade e não mais que um por campus. “Estes espaços serão fundamentais para a propagação de uma cultura empreendedora naquela região ou município e para fomentar a integração entre universidade, governo e indústria”, destaca Gabriella.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia