Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Fórum reúne mais de 500 na busca do desenvolvimento sustentável

Encontro reuniu vários setores da economia e dos poderes públicos local e regional. Entre os temas debatidos esteve o papel da inovação na recuperação da Mata mineira


Por Fabíola Costa

06/10/2017 às 19h48

(Foto: Fernando Priamo)

Mais de 500 pessoas marcaram presença nos dois dias do Fórum de Desenvolvimento de Juiz de Fora, Zona da Mata e Vertentes, que manteve a tradição de unir palestrantes renomados, autoridades, empresários e formadores de opinião na discussão acerca do desenvolvimento sustentável. Com o tema Ética, criatividade e investimento – vetores de alavancagem do desenvolvimento, o fórum, realizado a cada dois anos pela Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região, criou a sua identidade e consolida-se no calendário municipal como oportunidade de debate e troca de ideias em prol do avanço socioeconômico do município e da região.

No primeiro dia do evento, o secretário nacional de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, realizou conferência ao presentes, seguida por visita aos estandes. Nesta sexta-feira, o professor da UFJF Ignácio Godinho Delgado falou sobre o papel da inovação na recuperação da economia da Mata mineira. O empresário Henrique Neves apresentou o case de joint venture da Tate & Lyle e a Gemacon Tech. O professor da UFJF Fernando Perobelli destacou a importância do indicador de atividade econômica municipal na tomada de decisões. O presidente da Unimed, Hugo Borges, falou sobre a gestão inovadora de pessoas, e o gerente de Marketing do Bahamas, Nelson Júnior, destacou a importância do planejamento e do aproveitamento de oportunidades para um negócio. O evento foi encerrado com uma mesa-redonda sobre o polo de cervejas artesanais da Zona da Mata.

Entre os palestrantes do dia estava Mauro Carrusca, CEO da Carrusca Inovation e autor de um artigo que está “bombando” na internet: “O seu mundo vai desaparecer”. Em entrevista à Tribuna, Carrusca comenta que o mundo que conhecemos está “indo embora”, e muitos ainda não perceberam isso. “As transformações digitais têm impactado profundamente a sociedade, as organizações e as empresas, e não dá mais para ficar simplesmente olhando e esperando o futuro chegar. A gente tem que trazer o futuro para o presente.” Segundo Carrusca, a transformação digital e o investimento em tecnologia são obrigações para as empresas. A inovação, no entanto, vai além. “É muito mais que isso. Significa gente e mudança de mentalidade. É preciso entender que a colaboração, a inclusão e uma gestão mais horizontal são fundamentais nos novos tempos. Se isso não for feito, para essas empresas, o mundo vai acabar.”

O conteúdo continua após o anúncio

Já o consultor Wilson Caldeira, palestrante que representou o Sebrae-MG no evento, destacou a importância do empreendedorismo na geração de empregos e na superação dos desafios impostos pelo século XXI. “Muitos questionam que o emprego diminuiu, mas é preciso entender que empreender é uma forma de ter e gerar emprego.” Em sua palestra, Caldeira falou sobre a importância econômica das startups. “As grandes empresas contribuem para o desenvolvimento, mas quem gera riqueza são as pequenas, e as startups estão exatamente nesse caminho.” Na avaliação dele, Juiz de Fora tem “ingredientes interessantes”, como o Sebrae, a UFJF, através do Critt, e uma comunidade chamada 040 muito estruturada em relação ao assunto. “O passo inicial é ter as entidades. O próximo, que é o desafio, é que elas funcionem concatenadas.”

Em busca do melhor modelo para a cidade

Também presente ao fórum, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, João de Matos, destaca a importância da discussão sobre o desenvolvimento da cidade, sob o princípio da ética, “que é muito buscado e procurado por todos nós dentro da Prefeitura”. O secretário citou os resultados divulgados no primeiro dia da programação, que colocam Juiz de Fora em 43º lugar entre as melhores cidades para investir em negócios, em ranking da consultoria Urban Systems, divulgado com exclusividade pela Revista Exame. João citou, ainda, outras posições de destaque do município, em quesitos, como melhor cidade para criar filhos, as mais inteligentes, transparência e cidade mais amigável. Ele ressaltou a meta constante de colocar o município mais próximo daquele que vive e nele habita. “Juiz de Fora tem uma necessidade de avançar, de forma rápida, para encontrar o melhor modelo.”

O presidente da Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região, Jorge Montessi, destacou a capacidade de o fórum congregar pessoas que querem fortalecer a cidade e a região. “A gente vê aqui, nesses dois dias de discussão, pessoas interessadas que Juiz de Fora, Zona da Mata e Vertentes cresçam.” Montessi citou o espaço para apresentação de novas ideias e divulgação de cases de sucesso, ressaltando a importância da inovação, sem perder de vista a preocupação com a ética. Ao longo dos 14 anos de trajetória do evento, o presidente destaca a credibilidade alcançada, manifesta no número de patrocinadores desta edição. Destacando a potencialidade do município e a sua posição como polo em setores, como saúde e educação, Montessi ressalta a necessidade de criar confiança no empresariado, para que ele possa investir na cidade. “Acredito que essa união vai fortalecer muito Juiz de Fora e toda a região. A nossa cidade é tão hospitaleira e acolhedora que as pessoas que chegam não têm vontade de ir embora. O fórum visa a abrir a cabeça das pessoas no sentido de acreditarem na cidade, unindo forças para se criar uma cidade diferente para nossos filhos e netos.”

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia