Tópicos em alta: polícia / chuva

Falta de médico persiste em Uaps

Insegurança é um dos problemas que afasta os servidores do posto na Vila Esperança I Uma semana depois de a população denunciar que a criminalidade está prejudicando o atendimento na Unidade de Atenção Primária à Saúde (Uaps) da Vila Esperança I, na Zona Norte, o problema persiste no local, que é referência ainda para os […]

Por Tribuna

29/07/2016 às 07h00- Atualizada 29/07/2016 às 08h03

Insegurança é um dos problemas que afasta os servidores do posto na Vila Esperança I

Insegurança é um dos problemas que afasta os servidores do posto na Vila Esperança I

Uma semana depois de a população denunciar que a criminalidade está prejudicando o atendimento na Unidade de Atenção Primária à Saúde (Uaps) da Vila Esperança I, na Zona Norte, o problema persiste no local, que é referência ainda para os moradores dos bairros Vila Esperança II e Nova Benfica. As equipes de atendimento continuam incompletas, segundo a presidente do Conselho de Saúde local, Maria Adelina Braz. Ela informou que áreas nas Vilas I e II estão descobertas, depois que agentes de saúde e uma técnica em enfermagem se afastaram por licença médica. Adelina ainda ressalta que as equipes que atendem aos bairros Vila I e Nova Benfica estão sem médicos. “O setor de marcação de consultas está parado, pois não tem funcionário. Fica difícil uma única médica atender a três áreas”, afirmou a representante, acrescentando que uma médica cubana, que atua na Uaps, vai voltar ao seu país.

“A Secretaria alegou que o quadro de funcionários está completo, mas quero saber dos outros funcionários, pois aqui eles não estão comparecendo”, afirmou a líder comunitária.

O conteúdo continua após o anúncio

Os problemas da Uaps da Vila Esperança I vieram à tona após ela ter ficado fechada por três dias devido ao assalto a uma funcionária ocorrido no início deste mês. Segundo moradores e líderes comunitários, a insegurança no local implica na irregularidade dos serviços prestados. Matéria da Tribuna, de 22 de julho, mostrou as dificuldades dos moradores que buscam a unidade.

Na ocasião, a Secretaria de Saúde informou que a Uaps conta com duas equipes do Saúde da Família e que já tivera início o processo para a realização de uma seleção para contratação de médicos para ampliar o quadro de profissionais da unidade. Havia informado ainda que, no último processo seletivo – edital 289, um médico foi contratado para o local, no entanto solicitou desligamento.

Viaturas da PM

No que se refere à questão da segurança, Adelina ressaltou que, depois do fechamento da unidade devido ao roubo da funcionária, a PM tem encaminhado viaturas ao local diariamente. Todavia, ela ressalta que seria significativo a presença de um guarda municipal.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde disse que tem trabalhado em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública e Cidadania e também com os órgãos de segurança pública neste caso de violência. A secretaria informou, ainda, que acompanha a situação da Uaps e que todas as providências estão sendo tomadas para que não haja desassistência à população e para que os servidores possam exercer suas funções de forma adequada.

Ainda de acordo com a pasta, já está em processo a contratação de profissionais que irão ampliar o quadro. Um agente de atendimento ao público está sendo treinado para a Central de Marcação de Consultas.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia