Tópicos em alta: cartas a jf / sergio moro / dengue / polícia

Ocorrência policial aponta que famílias continuam sendo expulsas da Vila Esperança

Após sofrer diversas ameaças de criminosos, um homem de 65 anos resolveu quebrar o silêncio e voltar a acionar a Polícia Militar para denunciar que moradores do Bairro Vila Esperança II, Zona Norte de Juiz de Fora, estão sendo expulsos de suas casas por bandidos. A grave situação não é nova e inclusive já foi noticiada pela […]

Por Michele Meireles

29/05/2017 às 10h28- Atualizada 29/05/2017 às 15h52

Após sofrer diversas ameaças de criminosos, um homem de 65 anos resolveu quebrar o silêncio e voltar a acionar a Polícia Militar para denunciar que moradores do Bairro Vila Esperança II, Zona Norte de Juiz de Fora, estão sendo expulsos de suas casas por bandidos. A grave situação não é nova e inclusive já foi noticiada pela Tribuna em fevereiro deste ano, mas a ocorrência registrada pelo idoso neste fim de semana mostra que os casos continuam a acontecer e reforça que nem mesmo a ação da polícia tem sido suficiente para intimidar os criminosos.

De acordo com o registro policial, feito na madrugada da última sexta-feira (26), o homem informou que há aproximadamente quatro meses foi testemunha de um roubo ocorrido em frente a sua casa. Na ocasião, um adolescente, 17 anos, e um jovem, 22, foram detidos em flagrante. Eles ficaram um tempo no Ceresp, mas foram soltos. Logo após ganharem as ruas novamente, eles teriam ido até a casa do homem e o ameaçado. O idoso registrou ocorrência.

Mesmo com o registro, eles voltaram ao endereço na semana passada. Conforme o idoso, ele foi surpreendido pela dupla quando colocava lixo na rua. Armado de revólver, um dos suspeitos o ameaçou de morte caso ele não se mudasse do bairro. Segundo a vítima, temendo por sua segurança e de sua família, ele abandonaria a casa nos próximos dias.

Segundo o relato de outros residentes aos militares, o jovem de 22 anos vem expulsando moradores do bairro “como forma de mostrar poder e intimidar toda a comunidade”. Porém, com medo, nem todos os moradores expulsos estariam registrando o boletim de ocorrência, ficando o fato sem conhecimento oficial pela polícia. Segundo informações de moradores, qualquer pessoa do bairro que se opõe as ações do criminoso e de seus comparsas se torna desafeto do bando, e inicia-se, então, a série de ameaças até que a família se mude do bairro.

O conteúdo continua após o anúncio

Na reportagem feita pela Tribuna sobre a situação, moradores relataram medo em denunciar as ações, já que, mesmo que fossem presos, os bandidos retornavam rapidamente às ruas, cada vez mais violentos. O delegado da Polícia Civil Rodolfo Rolli já investiga os casos desde o fim do ano passado, mas, segundo ele, a falta de denúncias concretas é um entrave para as apurações. A denúncia está sendo apurada, e os trabalhos transcorrem em sigilo para não prejudicar a investigação.

 

Casos violentos na comunidade chamam a atenção

Episódios violentos e ousados registrados na Vila Esperança I e II vêm chamando a atenção. Na última semana, um homem de 45 anos foi agredido até a morte após o sumiço de R$50 de um dos suspeitos do homicídio. Já no início do mês, um deficiente mental também foi agredido até a morte por conta de uma dívida de drogas.

Também na Vila Esperança foi feito um vídeo, que foi divulgado nas redes sociais, em que jovens aparecem usando uma arma artesanal e simulando um ataque aos rivais.

 

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia