Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Santa Casa de Juiz de Fora promove aula sobre glaucoma congênito

Médicos, residentes e acadêmicos de medicina podem participar do evento gratuito, nesta quarta-feira, no Salão Nobre do hospital


Por Tribuna

23/05/2018 às 09h05- Atualizada 23/05/2018 às 09h10

A Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora e a Sociedade Brasileira de Glaucoma promovem uma aula sobre glaucoma congênito, na noite desta quarta-feira (23). Médicos, residentes e acadêmicos de medicina podem participar. O evento será realizado às 19h30, no Salão Nobre do hospital. A aula será ministrada pela oftalmologista Vanessa Maria Paletta Guedes, médica da Santa Casa e membro da Sociedade Brasileira de Glaucoma. Ela é graduada pela UFJF, especialista em catarata e glaucoma pelo Centre Hospitalier National d’Ophtalmologie des Quinze-Vingts, em Paris, na França, e pós-graduada em Oftalmologia clínica e cirúrgica pela Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio).

Para se inscrever, é preciso acessar este link, baixar o arquivo, preencher a ficha de inscrição e encaminhar por e-mail para [email protected] A participação é gratuita, e as vagas, limitadas.

O conteúdo continua após o anúncio

O glaucoma é uma doença silenciosa, não apresentando sintomas até uma fase bem avançada da doença. Conforme a Santa Casa, Juiz de Fora é uma referência nacional no tratamento do glaucoma congênito, doença rara que atinge bebês. Normalmente, se não tratada a tempo pode levar a cegueira de nascença que dura por toda a vida do indivíduo.

Com o tratamento adequado realizado em tempo hábil este quadro é controlado e a visão restabelecida na grande maioria dos casos. O tratamento do glaucoma congênito é prioritariamente através de cirurgias com técnicas específicas (trabeculotomia ou goniotomia).

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia