Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Mulher denuncia estupro após descobrir gravidez

Autônoma de 41 decidiu denunciar a violência por estar grávida do agressor, que a atacou na Zona Norte de JF


Por Marcos Araújo

21/10/2020 às 18h08- Atualizada 21/10/2020 às 18h13

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Juiz de Fora, irá investigar o caso de estupro contra uma mulher, de 41 anos, que decidiu denunciar a violência depois de descobrir que está grávida do agressor. O crime aconteceu na data de 21 de setembro, no Bairro Jardim dos Alfineiros, Zona Norte, mas a vítima procurou a Polícia Militar na última segunda-feira (19), para relatar a agressão e pedir providências.

Conforme aponta o boletim de ocorrência sobre o crime, a vítima, que é autônoma, relatou que, no dia do fato, por volta das 6h30, saiu de casa sozinha e a pé com intuito de ir até a casa de sua mãe, onde a ajudaria a montar marmitas, posto que sua mãe trabalha com a venda de marmitex. De acordo com a vítima, ela tinha o costume de passar pela linha férrea a fim de cortar caminho.

O conteúdo continua após o anúncio

Ela contou que, neste dia, enquanto caminhava pela margem de linha, foi abordada por um homem em um carro. Segundo a mulher, o desconhecido estacionou o veículo ao lado dela e abriu a porta, atacando a vítima. Ele cobriu a boca dela com uma de suas mãos e a puxou para o interior do automóvel.

Ainda como consta no boletim, depois de capturá-la, o homem deslocou-se com o carro para uma rua deserta, onde cometeu a violência sexual. Como apontou a mulher, depois do ato, o homem fugiu e a abandonou no local. Ela também relatou que não o conhecia, nem se recordava das características dele. Tampouco soube informar detalhes sobre o carro, como modelo e cor, e relatou à PM que não gritou ou pediu ajuda porque entrou em estado de choque e ficou com medo de mais violência por parte do estuprador.

A vítima também relatou que, por ter um companheiro, não quis denunciar a violência, à época do fato, por se sentir com medo. Todavia, ao descobrir a gravidez, tomou coragem e relatou o ocorrido para sua mãe. Depois de denunciar o caso para a PM, a vítima foi conduzida à Delegacia de Mulher, onde recebeu assistência de uma psicóloga. As demais providências para começar uma investigação sobre o caso foram iniciadas.

Tópicos: polícia

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia