Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Comissão de Urbanismo fala sobre alagamentos no Bairro Industrial

Presidente da comissão, vereador José Márcio Garotinho, sugere ações que podem ser tomadas para que o problema das enchentes seja atenuado


Por Mariana Floriano, sob supervisão de Luciane Faquini

17/01/2022 às 18h41

A Comissão de Urbanismo, Transporte, Trânsito, Meio Ambiente e Acessibilidade da Câmara Municipal de Juiz de Fora, responsável por oferecer proposições relativas a obras e serviços públicos, afirma que têm sugerido soluções para minimizar os danos causados pelas enchentes que atingem o Bairro Industrial. No domingo (18), a Tribuna relatou o drama dos moradores que convivem há mais de 50 anos diante das constantes inundações na região. Uma série de estudos hidrográficos já foram feitos, porém, nenhuma obra saiu do papel.

Ruas passaram por nova limpeza nesta segunda-feira (Foto: Fernando Priamo)

O presidente da comissão, vereador José Márcio Garotinho (PV), sugere que três ações podem ser tomadas para que o problema das enchentes seja atenuado. A primeira delas, e mais urgente, seria a dragagem do Rio Paraibuna e do Córrego Humaitá. “Há mais de uma década que o rio não é dragado. Isso faz com que ele fique assoreado, diminuindo seu leito e suas margens e, consequentemente, a quantidade de água que ele suporta.”

A segunda é que se faça um estudo da bacia do Córrego Humaitá, no Bairro Industrial, que funciona como um funil de vazão de toda água que cai na região em períodos de chuva. “É preciso que se faça um diagnóstico, uma equipe especializada que possa realizar esse estudo, com intuito de propor a melhor solução.”

O conteúdo continua após o anúncio

Já a terceira solução seria controlar a ocupação da parte de cima do bairro, “estamos aprovando uma lei na Câmara que institui para os novos loteamentos a obrigatoriedade da instalação de dispositivos de drenagem sustentáveis. Criar bacias de retenção no local que irão retardar a chegada da água no Bairro Industrial”, explica o vereador.

Ele ainda afirma que há diversas outras iniciativas de drenagem que podem ser tomadas, “é preciso apenas que se dê o pontapé inicial”. “Todo ano, a cidade sofre com os alagamentos, a Prefeitura faz a limpeza no dia seguinte, organizam-se audiências públicas, mas no período de seca, não se prepara para o próximo período de cheias”. O vereador lembra que, em 2021, o Plano Municipal de Saneamento foi aprovado e, com ele, o fundo municipal de saneamento. “Com isso, a Prefeitura pode buscar recursos para investir em obras de drenagem. É claro que não vamos conseguir fazer tudo em um ano só, mas é preciso dar início.”

Limpeza

Desde a última quarta-feira (12), agentes do Demlurb realizam a limpeza de ruas atingidas pelas enchentes. Nesta segunda, os trabalhos foram retomados no Bairro Industrial. Um caminhão pipa foi utilizado para lavagem da Rua Henrique Simões, que fica no ponto mais baixo do bairro e é uma das mais atingidas pela cheia de Paraibuna. Também na altura do bairro, a Secretaria de Obras está fazendo a limpeza de bocas de lobo que ficam próximas às margens do rio. Conforme o Demlurb, no sábado e no domingo, profissionais auxiliaram a população com a retirada de móveis danificados e fizeram serviços de raspagem de lama e lavação das ruas.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia