Tópicos em alta: eleições 2018 / chuva / polícia

Grupo de cem pessoas tenta libertar presos durante ocorrência no Araucárias

Policiais precisam fazer disparos de borracha e granadas de efeito moral, gás de pimenta e bastão de madeira para dispersar o grupo

Por Michele Meireles

12/01/2018 às 10h13 - Atualizada 12/01/2018 às 17h12

Seis policiais militares ficaram feridos durante um tumulto registrado no Condomínio Araucárias, no Bairro Sagrado Coração, Zona Sul. Sete pessoas foram detidas e, conforme os policiais, cerca de cem moradores tentaram liberar os presos e investir contra os militares. A PM precisou usar munição de borracha, granadas de efeito moral, gás de pimenta e bastão de madeira para conter a situação. A confusão continuou na delegacia de Polícia Civil, no Bairro Santa Terezinha, quando, mais uma vez, populares tentaram libertar os detidos das viaturas da PM.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, o episódio teve início após a guarnição abordar um cadeirante de 26 anos, que, segundo a polícia, já seria conhecido no meio policial. A PM informou que ele desobedeceu a ordem dos militares e recebeu voz de prisão. O suspeito teria resistido à prisão, ameaçado matar os policiais e desferido um soco contra o peito de um militar. O homem ainda teria tentado morder os braços dos policiais e acertá-los com cabeçadas. Ele foi contido.

Ainda segundo a polícia, após um adolescente de 16 anos incitar os populares que estavam no local, cerca de cem pessoas teriam ameaçado a liberar o cadeirante. A mãe do suspeito, 55, teria saltado nas costas de um militar e tentado sacar sua arma e o estrangular. A PM informou que foi preciso efetuar um tiro com munição não letal de espingarda calibre 12. A mulher foi presa. Neste momento, conforme o documento policial, pessoas arremessaram pedras em direção aos militares, e, mais uma vez, a polícia informou que foi necessário atirar para acalmar os ânimos. Outras viaturas foram empenhadas para dar reforço, sendo utilizadas granadas de efeito moral, gás de pimenta e bastão de madeira para dispersar o grupo.

O conteúdo continua após o anúncio

Um homem teria feito ameaças e entrado em luta corporal com um PM, desferindo um tapa contra o peito do policial. Ele foi alvejado por um disparo de bala de borracha nos membros inferiores e foi preso. Além deste suspeito, o cadeirante, sua mãe e o adolescente foram algemados e levados para as viaturas, que seguiram para a delegacia. Já em Santa Terezinha, novamente as viaturas foram cercadas por diversas pessoas, que teriam feito ameaças e tentado arrebatar os presos. Outras quatro pessoas foram detidas. Os suspeitos foram medicados na UPA de Santa Luzia, onde foram constatadas lesões leves. Os policiais também tiveram ferimentos leves.

“Fato isolado”
O subcomandante da 32ª Companhia, responsável pelo policiamento na Zona Sul da cidade, tenente Gilmar da Silva, destacou que o episódio foi um fato isolado e que a Polícia Militar vem fazendo trabalhos de aproximação com a comunidade do local. “Nos reunimos periodicamente com a síndica, mantemos uma boa relação com os moradores, que são, em sua maioria, trabalhadores e ordeiros. Desenvolvemos ações de polícia comunitária no condomínio, há sempre a presença de viaturas, checando se está tudo em ordem. A PM vai intervir quando houver ruptura da segurança, mas sempre estivemos e vamos continuar ao lado da população”, disse, acrescentando que os envolvidos no tumulto podem ter algum tipo de relacionamento com os presos e acabaram se exaltando.

 

Tópicos:

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail





Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia