Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Delegado regional diz que saída de Ione Barbosa é irreversível

Grupo teve contato direto com o responsável pela transferência da titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher

Por Tribuna

08/04/2019 às 20h48

Desde a última semana, pessoas contrárias à saída da delegada Ione Barbosa, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, têm tentado reverter a medida com manifestos nas ruas e nas redes sociais, além de abaixo-assinado. A comissão formada por cinco representantes, se reuniu, na tarde desta segunda-feira (8), no gabinete do delegado regional, Armando Avolio, em Santa Terezinha.

LEIA MAIS:

O conteúdo continua após o anúncio

Pela primeira vez, o grupo teve contato direto com o responsável pela transferência da policial para saber os reais motivos da mudança. O abaixo-assinado eletrônico por meio da Avaaz.org. também já contava com mais de quatro mil assinaturas até a tarde desta segunda-feira. Diante do questionamento, Avolio esclareceu que a transferência se deu após um requerimento da delegada Carolina Gonçalves Magalhães, em virtude de uma necessidade familiar. “Ela tem uma demanda que necessita estar próxima à sua residência. Assunto, inclusive, conversado com as partes antes da publicação, e não houve nenhum tipo de contra-argumentação. Como a delegada Carolina já atuou na unidade, entendi que ocuparia o cargo sem deixar de realizar o bom trabalho que vem sendo desenvolvido”, destacou Avolio, acrescentando: “Nós temos falta de policiais, e a Especializada é uma das únicas compostas por dois delegados. Entendemos a importância das ações envolvendo as mulheres, mas não podemos deixar de prestar serviços a outras delegacias.”

Após a reunião, Armando Avolio não demonstrou sinais de que as manifestações possam alterar sua decisão, e a comissão espera que ele reavalie a transferência. “Não tenho motivos para voltar atrás, uma vez que a decisão foi baseada em termos técnicos”, garantiu, fazendo referência ao fato de Ione ser a mais nova policial em tempo de carreira e, por isso, delegados mais antigos têm prioridades. Já a integrante da comissão e vítima de violência doméstica, Érica Silva, pontuou que sua indignação se deve à preocupação com a interrupção de trabalhos importantes. Entretanto, Avolio reforçou que a alteração não prejudicará a proteção ao direito das mulheres e esclareceu que a movimentação das autoridades é uma prática habitual e recorrente.

O quadro de delegadas de Mulheres continua sendo composto por Ângela Fellet, que permanece no cargo. Desde a última sexta-feira (5), Ione já responde pela 4ª Delegacia, responsável pelos bairros da Zona Nordeste.

Tópicos: polícia



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia