Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

GTS é a versão ‘brava’ do Virtus

O sedã tem a mesma preparação esportiva do hatch. Com motor 1.4 turbo flexível, o modelo já está á venda por R$ 104.940


Por Igor Macário (Agência Estado)

28/02/2020 às 21h04

Depois do Polo GTS, lançado no mês passado, agora chegou a vez de o Virtus GTS ganhar as ruas. O sedã tem a mesma preparação esportiva do hatch. Com motor 1.4 turbo flexível de 150 cv, o modelo já está nas concessionárias tabelado a R$ 104.940.

O pacote de itens de série é amplo. Inclui ar-condicionado com ajuste automático, central multimídia e painel virtual. Os bancos são esportivos, envolventes e revestidos de tecido e courvin, com encosto de cabeça integrado e a inscrição da sigla da versão nos encostos. Os dianteiros são confortáveis e apoiam bem o corpo.

Acabamento segue o padrão da linha Virtus e Polo, mas o GTS tem cabine mais escura (Foto: Divulgação)

A central multimídia é a mesma das versões de topo do sedã com motor 1.0. Adicionalmente a do GTS tem uma tela que mostra dados de funcionamento do motor, como a pressão do turbo. O sistema traz navegador GPS e conexão com Android Auto e Apple Carplay. No mais, o acabamento segue o padrão da linha Virtus e Polo, mas o GTS tem cabine mais escura. Os plásticos rígidos comuns a todas as versões do modelo estão lá e não combinam com um carro com preço acima dos R$ 100 mil. Painel e portas são revestidos de plástico rígido rugoso, áspero ao toque.

O motor 1.4 do Virtus GTS é o mesmo utilizado nos SUVs T-Cross e Tiguan, mas faz menos esforço para mover os 1.255 quilos do sedã. Isso significa que a nova versão é ágil em praticamente todas as situações. Graças ao bom torque, de 25,5 mkgf a apenas 1.500 rpm, na cidade as respostas ao acelerador são rápidas e na estrada é possível imprimir um ritmo bem forte de condução. A suspensão é firme, mas longe de ser desconfortável.

Foto: Divulgação

O acerto mais “justinho” deixou o Virtus GTS esperto aos comandos do volante e gostoso de dirigir. O sedã também é estável em velocidades altas e transmite sensação de segurança ao volante. O câmbio automático de seis marchas é bom, mas não oferece as trocas quase instantâneas das caixas automatizadas de dupla embreagem da VW. Mesmo no modo esportivo ou fazendo as passagens de forma manual, a impressão é que a transmissão limita um pouco o desempenho.

O conteúdo continua após o anúncio

O sedã tem um sistema que simula o ronco de escapamento esportivo na cabine. Esse recurso é ativado juntamente com o modo esportivo.

O sistema traz navegador GPS e conexão com Android Auto e Apple Carplay (Foto: Divulgação)

Ficha técnica

Preço sugerido: R$ 104.940
Motor: 1.4, 4 cil., 16V, turbo, flexível
Potência (cv): 150 a 4.500 rpm
Torque (mkgf): 25,5 a 1.500 rpm
Câmbio: Automático, seis marchas
Porta-malas: 521 litros
Fonte: Volkswagen

Prós e contras

PRÓS – CONJUNTO MECÂNICO
Motor mostrou ser muito valente, mas câmbio poderia ter trocas mais rápidas

CONTRAS – ACABAMENTO
Excesso de plásticos rígidos fica ainda mais evidente em um sedã dessa faixa de preço

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia