Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Charlles Evangelista e Júlio Delgado apoiam o distritão

Por Paulo Cesar Magella

20/07/2021 às 21h16 - Atualizada 20/07/2021 às 21h16

A bancada federal por Juiz de Fora vai contribuir com pelo menos dois votos a favor do distritão. Ao participarem de entrevista na Rádio Transamérica Juiz de Fora, os deputados Charlles Evangelista (PSL) e Júlio Delgado (PSB) revelaram que, a despeito da fronteira ideológica, vão apoiar a matéria. “Voto a favor para corrigir injustiças e evitar distorções”, destacou Delgado, acrescentando que o atual modelo privilegia a eleição de políticos sem votos, levados ao parlamento por conta dos chamados puxadores de voto. Charlles tem o mesmo ponto de vista e enfatizou que a sociedade precisa conhecer melhor o distritão, para entender que é a melhor forma de garantir a representatividade.

O conteúdo continua após o anúncio

Unidade também no voto contra o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhoes

Os dois parlamentares também comungam o mesmo ponto de vista quando se trata do Fundo Eleitoral previsto em torno de R$ 5,7 bilhões. Acham ser muito alto num cenário de crise e entendem que o presidente Bolsonaro precisa vetar tal concessão. Júlio fez contas e acha que um financiamento de R$ 2,5 bilhões seria suficiente. Ambos rejeitam a proposta de emenda de relator, que dá aos presidentes da Câmara e do Senado a prerrogativa de encaminhar os recursos de emendas para políticos mais próximos. A despeito de defenderem a redução do Fundo, questionam a possível volta do financiamento privado, como defende o ministro Onix Lorenzoni. Charlles acha esse modelo problemático, por dar margem a mazelas como os processos denunciados pela Lava Jato.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia