Em nota, ANTT tira dúvida sobre pedágio na BR-040

De acordo com a Agência, Via 040 vai continuar cobrando a atual pedágio na BR-040 até o início do contrato da nova concessionária

Por Paulo Cesar Magella

Diante da polêmica sobre a cobrança ou não de pedágio na BR-040, no trecho entre Juiz de Fora e Belo Horizonte, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) divulgou nota, nesta segunda-feira, destacando que a cobrança nas praças se inicia logo após a nova concessionária, a EPR, assumir o trecho “e demonstrar que atendeu às condições técnicas necessárias para a transição operacional da rodovia”. Mas há uma ressalva: “no período de transição, que pode durar até 30 dias a partir da data da assinatura do contrato, a Via 040 continuará a operação básica do trecho com atendimento médico e mecânico, além de cobrar a tarifa atual. Após a entrada oficial da EPR Via Mineira na rodovia, a ANTT fará o teste de capacidade técnica, permitindo que a nova empresa inicie a cobrança das tarifas.” As tarifas seguirão a tabela do edital, incluindo o desconto oferecido no leilão e ajustes devido à inflação. O Consórcio Infraestrutura MG apresentou um desconto de 11,22% sobre a tarifa básica de pedágio. Os cálculos serão divulgados após a comprovação das condições técnicas e antes do início da cobrança”, destacou.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Sou da primeira geração da Tribuna, onde ingressei em 1981 - ano de fundação do jornal -, já tendo exercido as funções de editor de política, editor de economia, secretário de redação e, desde 1995, editor geral. Além de jornalista, sou bacharel em Direito e Filosofia. Também sou radialista Meus hobbies são leitura, gastronomia - não como frango, pasmem - esportes (Flamengo até morrer), encontro com amigos, de preferência nos botequins. E-mail: [email protected] [email protected]

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também