Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Mesmo sem definição de chapa com Kalil, Lula visita Minas nesta segunda-feira

Por Paulo Cesar Magella

08/05/2022 às 10h00 - Atualizada 08/05/2022 às 09h16

A confusão na agenda do ex-presidente Lula em Minas, após informação na imprensa nacional indicando que ela seria cancelada, foi resolvida por meio de nota do próprio comitê do ex-presidente, garantindo que ele vai cumprir os compromissos no Estado: segunda-feira, dia 9, em Belo Horizonte, dia 10 em Contagem e dia 11 em Juiz de Fora, mas sem o vice, Geraldo Alckmin, que pegou Covid. A especulação ganhou força em razão do impasse entre o Partido dos Trabalhadores e o PSD. Os petistas reforçam a candidatura do deputado Reginaldo Lopes ao Senado – o que seria a razão da viagem de Lula -, enquanto os pedessistas insistem na reeleição do senador Alexandre Silveira, aliás, presidente do diretório em Minas. Ele entrou na vaga do agora ministro do TCU, Antônio Anastasia, e vai tentar a reeleição.

O conteúdo continua após o anúncio

A chapa pura do PSD, encabeçada pelo ex-prefeito Alexandre Kalil e o deputado Agostinho Patrus (como vice) não é o problema, pois ambos sabem dos proveitos mútuos da aliança. As recentes declarações do senador Rodrigo Pacheco e do presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab é que acenderam a luz amarela, pois ambos elogiaram o candidato Ciro Gomes (PDT).

A questão central é saber quem mais perde se a aliança não se consolidar. Em seu blog na internet e no seu comentário na TV Bandeirantes, de Belo Horizonte, o jornalista Orion Teixeira, destaca que Kalil perde mais, já que precisará de Lula especialmente no interior, enquanto o ex-presidente já tem respaldo na capital.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia