Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Gerações e carreiras: o caminho que nos trouxe a novos desafios e a um novo mercado de trabalho

Você já parou para pensar que a época em que você nasceu diz muito sobre quem você é, sua visão de mundo, suas escolhas e consequentemente, sobre os rumos do seu futuro profissional?

Por Marcelle Larcher

16/09/2021 às 14h00 - Atualizada 16/09/2021 às 16h41

Você já parou para pensar que a época em que você nasceu diz muito sobre quem você é, sua visão de mundo, suas escolhas e consequentemente, sobre os rumos do seu futuro profissional?

O mundo em que vivemos influencia diretamente naquilo que somos, no que acreditamos, como agimos e nos comportamos nas mais diversas situações da vida, sabe porquê?

Porque somos produto do meio, e o contexto em que estamos inseridos e crescemos tem um papel fundamental na nossa formação como indivíduos. É por isso, que de geração em geração vemos tantas diferenças, principalmente quanto a ideais, aspirações e objetivos de vida.

Geração X, Y (Millennial), Z e Alpha, cada uma tem características específicas, formas de pensar, aprender, comportar-se, e tudo isso é reflexo do cenário que os moldaram, de contextos políticos e sociais e, não menos importante, das diferentes formas de acesso e contato com a tecnologia que eles tiveram. Tudo isso, justifica como cada uma dessas gerações possui uma visão de mundo completamente distinta. Vamos entender melhor cada uma?

Geração X – Nascidos entre 1965 e 1980, estamos falando de uma geração que presenciou e assistiu de perto o surgimento dos recursos tecnológicos. Se quer saber como começou a internet, como eram os primeiros celulares, impressoras, e e-mails, pergunte a alguém dessa geração. Já posso te adiantar que não era nada parecido com o que vemos hoje!

Geração Y (Millennial) – São aqueles nascidos entre 1981 e 1996. Diferente dos seus antecessores, essa geração já chegou em um mundo bem mais adaptado e marcado pelo avanço da tecnologia, além de um cenário de maior prosperidade econômica. Ao contrário da geração X, a Y acompanhou desde pequeno como é a vida com mais acesso à tecnologia, já entendendo melhor suas vantagens e aproveitando mais adventos como a TV a cabo, videogames e computadores um pouco mais avançados.

Geração Z – Pessoas nascidas da segunda metade dos anos 90, entre 1997 até o início do ano de 2010. As crianças dessa época encontraram o mundo no auge da expansão da internet e dos aparelhos tecnológicos, por isso, são verdadeiros nativos digitais.

Geração Alpha – Aqueles que ainda estão se preparando para enfrentar o futuro, pois é, eles nasceram depois de 2010. A grande diferença entre essa e sua geração antecessora, é que a sua forte interação com a internet e a tecnologia vem desde os seus primeiros dias, a geração Z que encontrou o mundo no auge da expansão da internet, dá espaço para a geração Alpha que já nasce com a consolidação de um mundo altamente pautado em tecnologia, com acesso fácil, ilimitado e multitelas.

O conteúdo continua após o anúncio

Profissional X mercado de trabalho, como se deu essa transformação entre as gerações?

Estamos falando de cenários de mundo completamente distintos, imagine uma linha do tempo das gerações, como já vimos, ela nos mostra pessoas e contextos diferentes, porque que não nos mostraria mercados de trabalhos extremamente diferentes? Afinal, chega a ser ingênuo esperar que um jovem da geração Alpha vai encontrar o mesmo mercado de trabalho que encontrou o jovem da geração Y e Z, muito menos que um jovem da geração X.

Voltando aquela linha do tempo imaginária, saímos de um padrão workaholic, de gerações que tinham seu foco em ter uma especialidade e construir uma longa carreira no mercado, passamos por gerações obstinadas em buscar oportunidades mais seguras, que oferecessem maiores desafios de crescimento profissional, mas ao mesmo tempo, promovesse estabilidade, e chegamos as gerações que conseguem enxergar mais possibilidades e não se contentam ou se importam em criar uma carreira sólida e estar em um só lugar para o resto de suas vidas, dando espaço a vontade de explorar outros caminhos.

O mercado entende toda essa construção e vem se adaptando a isso, não é por acaso que essa nova geração precisar estar ainda mais preparada para ser o profissional do futuro, as exigências estão cada vez maiores e a lista de habilidades requisitadas também.

A geração Alpha no mercado de trabalho

A geração Alpha tem um grande desafio pela frente, ficou claro até aqui que estamos em um momento tecnologicamente consolidado e a tendência é que isso só avance. A tecnologia como conhecemos hoje, pauta o mundo e as nossas relações em todas as esferas.

Não precisamos ir muito longe para encontrar gerações que viveram um modelo de mercado, onde o processo natural consiste na escolha de uma profissão, na dedicação em esforços por um diploma e uma carreira duradoura. Agora, muito ao contrário disso, os jovens dessa nova geração precisam se preparar para irem além do diploma! 

Embora infelizmente isso não seja muito abordado dentro das escolas e o incentivo na busca por habilidades técnicas ainda ditarem muita coisa, precisamos abrir os olhos enquanto há tempo e entender que as coisas agora funcionam de maneira diferente. Hoje, a busca das competências comportamentais e o desenvolvimento das mesmas, é um divisor de águas para um profissional de sucesso no futuro.

O profissional da geração Alpha deve ter sim, as habilidades técnicas, mas eles também precisam dominar suas competências comportamentais, muitas vezes, elas serão até mais importantes.

Em resumo, o que marca esse novo profissional futuro e essa nova geração é o seu potencial multi talento, criativo, adaptável, técnico e comportamental. E te digo mais! Se visualizarmos o cenário de hoje, vemos que eles estão se preparando, muitas vezes, para profissões que ainda nem existem, mas isso é assunto para outra conversa.

Grupo Larch

Grupo Larch

Estratégias, processos, capital humano, tecnologia. Muito mais que uma consultoria empresarial, o Grupo Larch hoje é um parceiro de negócios que contribui para que empresas e seus líderes encarem seus desafios e encontrem os melhores caminhos.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia