Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Sono de excelência

Por Leandro Mazzini

01/12/2021 às 07h00 - Atualizada 30/11/2021 às 19h14

Com salários brutos superiores a R$ 33 mil, alguns deputados federais contarão com mais regalias nos amplos apartamentos funcionais em Brasília: camas “king size” e “queen size” – conhecidas pelo generoso tamanho e conforto – e outros móveis de primeira linha bancados com dinheiro público. A licitação, por pregão eletrônico, foi aberta este mês pela Câmara dos Deputados e prevê o custo de R$ 692.543,76. Serão adquiridas seis camas king, ao custo de R$ 29.202,60, e 36 unidades de queen, ao preço de R$ 145.287,00. A compra ainda prevê cadeiras, e mesas de jantar e de centro.

12 meses?

O edital justifica que é para “suprir as necessidades de mobiliário das unidades atualmente em déficit, as necessidades projetadas para os próximos 12 meses”.

Aquele adicional

O edital informa ainda que, “no interesse da Câmara”, o valor desta contratação poderá ser aumentado em até 25% em razão de acréscimos de componentes do objeto”.

Yankees chegando

Foi adiada para 6 a 16 de dezembro o exercício em solo brasileiro das tropas americanas com mais de 200 soldados, no interior paulista, em parceria com o Exército.

Segue a novela

Jair Bolsonaro tem uma sina de chamar problemas para si. Se não tivesse mandado prender em Resende (RJ) uma mulher que o provocou na rua, ninguém saberia hoje que ele era chamado de “noivinha do Aristides” no Quartel quando soldado. Aliás, a prisão é inconstitucional. E segue a novela da vida real.

Falta de tudo

É fato no comércio geral nas capitais e interior: o efeito das restrições na pandemia do coronavírus no Brasil e exterior afetaram diretamente o abastecimento. Falta de tudo, principalmente insumos para indústria de transformação. E a demanda cresceu forte.

O conteúdo continua após o anúncio

Reza forte

Com o camburão da PF com giroflex ligado para cima dele, o que se sabe na polícia é que Padre Robson Pereira, de Trindade, pegou a trouxinha e sumiu.

No Conselho de Ética…

O advogado Pedro Calmon Mendes vai sentar no banco dos réus da OAB. Uma ex-cliente entrou com ação no conselho de ética da entidade com provas judiciais em que o acusa de ter mentido nos autos, e tê-la enganado, para obter ganhos financeiros.

… da OAB

A suposta vítima pede a suspensão imediata da inscrição do registro de advogado e a cassação de sua carteira na seccional.

Outro lado

Em resposta à coluna, Calmon alega que vem sofrendo uma campanha de difamação por conta da defesa de uma cliente (a coluna ressalta que não é a mesma da denúncia). “Tenho mais de 30 anos de inscrição na Ordem e nunca tive uma punição sequer perante a OAB” alega em nota enviada. “Considero uma afronta a minha honra pessoal e profissional esse tipo de questionamento”.

No mais

A coluna tem a confirmação do protocolo da denúncia, baseia-se num fato, procurou o advogado para se posicionar e apenas reporta o caso. A íntegra da resposta de Calmon está no site.

10 anos

A Coluna Esplanada completa hoje 10 anos. Agradecemos a leitura e a todos os veículos parceiros de publicação nesta trajetória.

ESPLANADEIRA

# Instituições do Acre, Paraná, Piauí, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo concorrem ao Prêmio Espírito Público em Segurança Alimentar. # Outback Steakhouse abre vagas de emprego no Shopping Pier 21, em Brasília. # Supermercados Mundial, no Rio, lança programa “Meu Mundial” com promoções na loja física. # Techint Engenharia e Construção recebe Selo de Direitos Humanos e Diversidade, da Prefeitura de SP. # Programa Leia para uma Criança doa 2.063.529 kits de livros para instituições de municípios.

Leandro Mazzini

Leandro Mazzini

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia