Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / polícia / eleições 2020 / bolsonaro

Morrer, fugir

Por Wendell Guiducci

12/05/2020 às 07h00 - Atualizada 11/05/2020 às 08h27

Tem gente preferindo morrer a viver no Brasil. Morrendo de desgosto. Quem diria, Ary Barroso, desgosto de viver nesse Brasil que já não acham mais lindo, embora ainda trigueiro. O que viste lá de Ubá, ó conterrâneo, além do mulato inzoneiro, da mulata sestrosa, que já não encantam mais a gente? Será que não sobra esperança alguma sob a lua merencória, a ponto de um homem preferir abdicar da vida e do samba a seguir vivendo nessa Terra de Nosso Senhor? Morrer ou fugir, eis a questão. Se restam só essas alternativas, fugir, pois!, que morrer é demasiado definitivo. Mas para onde?

Eu, como Belchior, tenho visto muitos filmes, conversado com pessoas, e me assusta no cinema estrangeiro, e mesmo no brasileiro de boníssima safra, o tema recorrente do racismo, da xenofobia, da segregação de toda sorte. Morrer, fugir… para onde, então? Se na desmemoriada Europa erguem-se os ultranacionalismos, e nos States um velho cor-de-rosa de cafonérrimo topete oxigenado sonha com um muro que afaste los cucarachas – como são chamados todos que vivemos ao Sul de El Paso ou San Antonio, o que inclui você, disneylândico leitor. No Brasil, pátria desimportante, a amargura de Cazuza e Renato Russo parece doce diante de um Estado tomado por lunáticos, celerados, fanáticos e adoradores da morte. Que país é esse?

O conteúdo continua após o anúncio

Resta então abraçar Ney Matogrosso em suas parcas vestes e vastos requebrares, e admitir: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

Morrer, fugir…? Fugir, claro, eu, hein!, que da morte não há repatriados. Correr e pra bem longe! O Google me ajuda aqui: a cidade mais distante de Juiz de Fora no planeta é Urasoe, na Ilha de Okinawa, Japão. Uma coisinha assim, bonitinha, pequenininha, tipo Ubá de Ary só que sem manga, uns 100 mil urasoenses vivendo uma vidinha boa de arroz e peixe. Um barquinho pra buscar muamba em Taiwan. Mesma latitude da Flórida, bom clima entre o Mar da China e o das Filipinas, poerinha sem Flamengo na imensidão do Pacífico. Tentador: partiu?! Mas, gente, como anda seu japonês? Alguma coisa além de sayonara e arigatô? Morrer, fugir; ficar, talvez?

(Ubá, como Ary, tem só três letras.)

Wendell Guiducci

Wendell Guiducci

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia